Servidora ganha prêmio por pesquisa em USF da Capital

Por - em 33

A enfermeira Ildnara Mangueira, funcionária da Unidade de Saúde da Família (USF) Funcionários II, recebeu no último dia 22 de outubro, em Brasília, um prêmio de ‘Incentivo à Ciência e Tecnologia para o SUS’, concedido pelo Ministério da Saúde (MS). A profissional realizou uma pesquisa sobre ‘O papel da família na promoção da Saúde do Idoso’, concorrendo no nível de especialização. Apenas dois trabalhos da região Nordeste foram selecionados de um total de 24 prêmios concedidos.

“Só percebi a noção do prêmio quando cheguei em Brasília e vi o grande número de participantes”, disse a enfermeira Ildnara Mangueira, ressaltando que a menção honrosa entregue pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão, é um incentivo para os profissionais que desenvolvem trabalhos nas USF. “Todo mundo é capaz de realizar um bom trabalho e nós não deixamos nada a desejar a nenhuma outra região do país”, afirmou a enfermeira.

A análise foi feita em especialização pelo Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva (Nesc), da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Através da avaliação, a pesquisadora observou a relação entre a família e cerca de 46 idosos dos Funcionários II, procurando refletir e apontar, através de entrevistas realizadas com os próprios idosos, o que a família tem proporcionado aos seus parentes acima dos 60 anos. E, no conjunto das respostas, uma triste constatação: as famílias não estão colaborando para a auto-estima do idoso e a integração dessas pessoas no cotidiano das atividades da vida familiar.

“Este trabalho serve como alerta para que as famílias passem a tratar os idosos de outra forma. Muitas vezes eles contribuem significativamente com a renda da casa, desempenham trabalhos domésticos, mas não há uma integração familiar com o idoso no lazer, por exemplo. E mesmo assim os idosos dão grande importância ao papel da família”, explica Ildnara Mangueira, que acrescenta que tal contexto contribui significativamente para a qualidade de vida e a saúde do idoso.

A partir da avaliação, a enfermeira apontou também a necessidade das unidades de saúde realizarem um trabalho de sensibilização com as famílias, estabelecendo um vínculo com os idosos. Na USF Funcionários II, há um grupo de 46 idosos, que participam de atividades de lazer, como eventos temáticos, passeios e terapia comunitária.