Servidores da Emlur são capacitados para contribuir contra violência

Por - em 33

Mais de 50 servidores municipais e lideranças comunitárias formaram a primeira turma do curso de capacitação oferecido pela Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) em parceria com a Polícia Militar da Paraíba. O curso teve início nesta sexta-feira (27) e está sendo ministrado no Centro de Treinamento Miguel Arraes, administrado pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), no Bairro dos Estados.

O superintendente da Emlur, Coriolano Coutinho, afirmou que a busca por esta parceria vem desde o início da gestão, com o propósito de que os servidores da autarquia possam contribuir para diminuir os níveis de violência na cidade. “A Emlur tem hoje aproximadamente 2.100 servidores, e, com esse pequeno passo, pretendemos sensibilizá-los e criar uma cultura de paz, seja em suas residências ou nas comunidades onde atuam”, ressaltou Coriolano.

Durante a solenidade de abertura do curso, o Tenente Coronel Sobreira, militar supervisor responsável pela execução do projeto, falou sobre a importância dos conceitos repassados aos servidores da Prefeitura. “O nosso intuito é que os servidores compreendam os sinais para agir como mediadores em pequenos conflitos. Estamos repassando noções de ações preventivas e técnicas que buscam evitar que um desentendimento trivial entre vizinhos, por exemplo, se transforme em um problema maior”, afirmou o tenente-coronel.

Curso – Dividido em dois módulos (Segurança Cidadã e Mediação de Conflitos), o curso tem duração de 4h/aula cada e aborda questões como criminalidade e violência; integração com entidades representativas da comunidade como meio de controle social; resolução pacífica de conflitos, entre outras. Em virtude da grande demanda, o grupo de 50 pessoas teve que se dividido em duas salas, possibilitando, assim, maior conforto para os participantes.

Princípios – O projeto conjunto da Prefeitura de João Pessoa e da Polícia Militar da Paraíba é norteado pelos princípios da ação preventiva, transparência, cidadania, ação educativa, cultura de paz e mediação de conflitos. A parceria dos dois órgãos parte da premissa de que todos devem trabalhar para identificar, priorizar e resolver problemas como crimes, drogas, medos, desordens físicas, morais e, até mesmo, a decadência dos bairros. Essa união de esforços, segundo a Polícia Militar, possibilita que as soluções sejam cada vez mais efetivas.