Servidores participam de curso para implantar a coleta seletiva no CAM

Por - em 23

Reaproveitamento do material de expediente, inclusão social, consciência ambiental e necessidade de economia. Esses foram os principais assuntos abordados durante o curso de preparação para a implantação da coleta seletiva no Centro Administrativo Municipal (CAM). A primeira etapa da qualificação, dirigida à equipe de serviços gerais das secretarias, aconteceu na manhã desta terça-feira (6), no auditório do complexo. A iniciativa faz parte do projeto ‘Santo de casa faz milagre’, da Autarquia Municipal Especial de Limpeza Urbana (Emlur), iniciado em abril deste ano.

A chefe da Divisão de Educação Ambiental (DEA), Elma Xavier, lembrou que muitos benefícios para a sociedade podem ser obtidos a partir de iniciativas semelhantes. “Além de fazer o reaproveitamento do material utilizado durante o horário de expediente, estamos realizando inclusão social, beneficiando os agentes ambientais dos núcleos de coleta seletiva. Também é importante para o meio ambiente, porque prolongamos a vida do aterro sanitário. Sem esquecer da questão econômica, pois a economia gerada implica diretamente na redução do gasto de água e energia na produção dos bens de consumo”, destacou.

A capacitações dos servidores do CAM está sendo realizada por educadores ambientais do Departamento de Valorização e Recuperação de Resíduos Sólidos (Devar) e pela Divisão de Educação Ambiental (Diea) da Emlur. Nesta quarta-feira (7), será a vez de mais um grupo de servidores, que passarão por capacitação e treinamento.

Depois disso, a coleta seletiva será feita efetivamente. Qualificando os servidores de forma estratégica, para que eles se tornem agentes multiplicadores do conhecimento e responsáveis pela disseminação do que aprenderam.

Israel de Jesus Silva é responsável pelos serviços gerais da Secretaria de Planejamento (Seplan). Ele é uma das pessoas que participou do curso nesta terça-feira. “Eu achei muito positivo aprender sobre a separação do lixo. É uma oportunidade que estão nos dando para corrigir coisas erradas que acontecem durante o expediente. Além disso, outras pessoas também participarão do curso e aprenderão sobre economia, já que o material que usamos para limpeza é muito caro”, explicou. “Quando aprendermos essas coisas, temos mais amor ao trabalho e trabalhamos com mais dedicação”, ressaltou.

Bom exemplo – Todas as salas das repartições municipais do CAM estão agora com cestos nas cores azul (destinado a papel), vermelho (para plástico) e marrom (material orgânico). Também foram instalados em pontos estratégicos coletores maiores nas cores azul, vermelho, verde (vidro) e amarelo (metal). A iniciativa já foi implantada na Emlur. O próximo passo é levar a idéia, até o final deste ano, ao Paço Municipal.