Setur realiza evento com trade para levar turistas à Estação das Artes

Por - em 54

Nesta quarta-feira (15), a Secretaria de Turismo da Prefeitura Municipal de João Pessoa (Setur-JP) realiza, na Estação das Artes (novo prédio do complexo da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes), a partir das 9h, um café da manhã com o trade turístico da Capital paraibana. O evento tem início às 9h e objetiva apresentar o espaço aos profissionais que trabalham diretamente com turistas na cidade.

A ideia é fazer com que o trade local apresente aos turistas este novo espaço de atividades artísticas e culturais. “Além do tradicional turismo sol e mar, os turistas têm a possibilidade de descobrir os ricos atrativos culturais de nossa cidade”, explicou o secretário Roberto Brunet. Segundo ele, o encontro quer sensibilizar os guias de turismo e as agências de receptivo para que promovam a Estação das Artes.

O evento, realizado pela Setur em parceria com a Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, contará com a participação de diretores e representantes do trade paraibano. Entre eles destacam-se o Sindicato dos Guias de Turismo da Paraíba (Singtur/PB), a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih), a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), a Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav), o João Pessoa Convention & Visitors Bureau, a Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo (Abrajet), a Infraero e os realizadores do 2º Festival de Turismo, que acontece em setembro.

Estação das Artes – O novo prédio do complexo da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes foi inaugurado na noite de 29 de junho deste ano, com a exposição “Natureza Extrema”, do artista plástico e ambientalista Frans Krajcberg. Na obra, foram investidos R$ 18,9 milhões, por meio de um convênio entre a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) e o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

No local, há obras escultóricas permanentes: uma de Fred Svendsen, intitulada “Baleia”, um painel de autoria do artista plástico Clóvis Júnior e duas esculturas do pernambucano Francisco Brennand.

Estrutura – O novo espaço, projetado pelo arquiteto da Secretaria de Planejamento (Seplan) Amaro Muniz, conta com três pavimentos. Na parte inferior, há dois miniauditórios com capacidade para 80 pessoas, cada; banheiros; escadas; elevador; espaço expositivo de 1.146,10m2; reserva técnica; copa; depósito; estacionamento com capacidade para 400 automóveis; e espaço para ônibus de turismo.

No pavimento térreo, há outros dois miniauditórios com capacidade para 100 lugares, cada; hall de entrada; galeria para circulação; recepção; copa; depósito; um espaço para instalação de um restaurante ou café; cozinha; setor administrativo; rampas de acesso; circulação horizontal; escada e elevador. Já o pavimento superior é formado por um terraço, um depósito e área técnica.

A edificação tem uma pequena deflexão em relação ao norte, no intuito de evitar a insolação de verão e aumentar a coleta de ventilação natural. Para maior flexibilidade do prédio, optou-se pela modulação estrutural, de 9x9m no espaço para exposições e galeria, enquanto nas cabeceiras a estrutura é composta por pilares, vigas e laje do tipo nervurada.

O prédio possui conforto térmico e ambiental, com cabeceiras prontas para receber tratamento acústico e térmico, de acordo com as atividades ali propostas. Enquanto isso, a galeria e a área multidisciplinar, orientadas para o sul, foram desenhadas para receber ventilação cruzada.