Show de André Abujamra agrada pela mistura de sons e ritmos

Por - em 18

O público que esteve no Ponto de Cem Reis na noite desta sexta-feira (14) foi tomado por mesclas de sons que começaram nos Bálcãs, passando pelo samba-rock, ritmos africanos e latinos, finalizando com música indiana, sem esquecer os estilos da cultura nordestina. Tudo isto junto e misturado nos shows do multiartista paulista André Abujamra e da banda paraibana Seu Pereira e Coletivo 401. As duas atrações deram o tom na programação do Estação Nordeste, evento promovido pela Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

As pessoas não escondiam a expectativa de ver pela primeira vez em João Pessoa, o show de André Abujamra, que apresentou seu mais novo trabalho solo, o 3º de sua carreira, intitulado “Mafaro”, que significa ‘alegria’ na língua do país africano Zimbabwe. Quando ele subiu ao palco, a platéia vibrou e foi presenteada com “Daunloudaram”, um som instrumental impressionante que aborda a circulação da música de maneira gratuita na internet. Imagens surreais de paisagens e de diversos povos da África ilustravam os dois telões que se sincronizavam com as músicas, do que o próprio André chama de “show-filme”. Na sequência veio no repertório “Ori-gem”, “Lexotam”, “Imaginação, A Pedra Tem Vida, O Amor é Difícil, Tem Luz na Cauda da Flecha e Logun Edé”, além da música que dá nome ao álbum, “Mafaro”, uma exaltação a felicidade, mistura de rap e música indiana, com acompanhamento de cordas e percussão. Uma verdadeira mistura cosmopolita de sons.

O poeta Águia Mendes já acompanha a carreira de André Abujamra desde a época da banda Karnak e agora pode conferir de perto o mais novo trabalho do artista. Segundo ele, o músico paulista está cada vez melhor e divertido. “O André procura inovar em seus trabalhos e isto está claro neste novo CD. Gostei bastante desta mistura de ritmos que ele propôs, pois sou um fã incondicional de música de boa qualidade”, disse. Águia Mendes ressaltou que está indo a todos os shows do Estação Nordeste e ficou feliz e surpreso com tanta revelação boa na música da Paraíba.

Atração local – Entre estas revelações está Seu Pereira e Coletivo 401, que mostrou ao público as músicas que em breve farão parte do primeiro CD da banda, a ser lançado em maio ou abril. O estilo do grupo é o “samba rock da Torre”, uma referência ao bairro onde todos moram. Entre as músicas do playlist: “Já era”, “No mato”, “Papai e mamãe” e “Cabidela” todas, segundo os integrantes da banda, crônicas do cotidiano vivenciado por eles. Segundo o vocalista, Jonathas Falcão, a música “Cabidela”, por exemplo, traz um apelo social forte ao comparar a morte trágica da galinha, que é cozida em seu próprio sangue, com a fome e a violência. Já “Papai e Mamãe” retrata a rotina de um casal em crise. O grupo tem apenas dois anos de estrada, mas já se apresentou em Brasília, Taguatinga e Campina Grande e participou dos principais festivais de música da Paraíba, como o Centro em Cena, PB Pop, Paraibatuke, Fenart e Riso da Terra.