Simulação marca instalação de Base do Samu em Santa Rita

Por - em 27

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-192) de João Pessoa realizou a simulação de um acidente automobilístico na cidade de Santa Rita, na manhã desta quarta-feira (11). A atividade marcou a implantação de uma Base do Serviço naquele município, que contará com três equipes se revezando no atendimento à população local. O sistema começa a funcionar até o final deste mês.

As equipes estarão subordinadas ao Samu de João Pessoa, que detém a coordenação do Samu Metropolitano, abrangendo a Capital e os municípios do Conde, Cabedelo, Bayeux e Santa Rita. A coordenadora do Serviço, a médica Roberta Abath, explicou que apenas Santa Rita ainda não contava com uma unidade descentralizada.

Segundo ela, para que o município passasse a contar com uma Base do Samu era necessário atender algumas exigências da Política Nacional de Atenção a Urgência do Ministério da Saúde (MS). Tão logo a Prefeitura do lugar ajustou a sua rede de assistência hospitalar aos atendimentos de urgência de pequeno e médio porte, houve a liberação dos recursos para a implantação da Base.

Capacitação – Roberta Abath contou que a Prefeitura de Santa Rita realizou a seleção dos seis técnicos e dos seis condutores que integram a equipe do Serviço no município, mas o processo de capacitação e treinamento foi realizado pela coordenação do Samu de João Pessoa.

A secretária de Saúde de Santa Rita, Maria Luiza Pessoa, ressaltou que a implantação do Serviço no município é uma conquista para a população local, que agora poderá contar com o atendimento móvel de urgência especializado. “Foi um processo difícil, mas graças ao empenho do prefeito (Marcus Odilon) conseguimos trazer o Samu para a nossa cidade”, comentou.

Simulação – Para divulgar a chegada do Samu à cidade, foi realizada uma simulação de acidente automobilístico em frente à Secretaria Municipal de Saúde de Santa Rita. Moradores da cidade se concentraram no lugar para assistir a atuação dos profissionais, que simularam uma colisão frontal de carro com um poste. Três atores voluntários se fizeram passar por vítimas, sendo que dois estavam dentro do veículo e um teria sido supostamente atropelado.

A organização do simulado ficou a cargo do coordenador de Enfermagem, Walber Júnior, e contou com a participação de 14 pessoas no geral, entre os profissionais e os voluntários.