SMS conta com serviço ambulatorial para tratar ‘Pé Diabético’

Por Rebeka Paiva - em 297

“Há 17 anos descobri que estava com diabetes, desde então minha vida mudou completamente, já precisei amputar dois dedos dos pés e há um ano estou com novo ferimento tudo isso devido à diabetes descompensada”, conta o segurança aposentado Josafá Ferreira dos Santos Júnior. Para usuários como Josafá, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de João Pessoa dispõe do ambulatório de diabetes, com um serviço especializado no cuidado das lesões nos membros inferiores dos pacientes acometidos pela doença, o ‘Pé Diabético’. O ambulatório está localizado dentro da Policlínica Municipal de Jaguaribe, na Rua Alberto de Brito, s/n.

“Sou atendido pelo serviço desde que começou a funcionar e a atenção que recebo dos profissionais aqui é muito boa. A gente nota que eles são bem humanizados, atenciosos demais, que tem a intenção verdadeira de cuidar e curar o paciente e esse cuidado é algo além da saúde, de um ferimento no pé”, comenta Seu Josafá, paciente atendido pelo ambulatório.

O ambulatório funciona de segunda a sexta, das 7h às 11h e das 13h às 17h.

Para ser atendido, o usuário deve ser diabético e estar com algum ferimento nos membros inferiores e encaminhado pela sua Unidade de Saúde da Família (USF) de referência. É necessário estar portando documento de identidade com foto, CPF, comprovante de residência e o Cartão SUS.

Ao chegar ao serviço o usuário passará por uma avaliação inicial onde será verificada a pressão arterial, glicemia capilar e peso. O ambulatório de diabetes conta com uma equipe interdisciplinar de saúde, composta por cirurgião, enfermeiros, técnicos de enfermagem, nutricionista, endocrinologista, psicólogo e assistente social.

No ambulatório são realizadas em média 420 consultas por mês. No ano de 2017 foram realizadas no Pé Diabético cerca de 5.000 procedimentos entre consulta médica com cirurgião, curativo e desbridamento, que é a retirada de tecido desvitalizado ou de corpo estranho de uma ferida.

“Aqui no Pé Diabético, o paciente recebe todo o tratamento da lesão e orientações sobre como manter os cuidados em casa, sobre a importância do autocuidado e esclarecemos possíveis dúvidas que eles possam ter”, explica o médico cirurgião geral e vascular do serviço Antonio Ataíde.

“Além disso, os usuários também são acompanhados por outros especialistas da equipe multidisciplinar, pois o cuidado com o pé diabético e com o diabetes em si não é apenas o medicamento, envolve todo o contexto da saúde e a partir do momento em que existe o controle clínico certo, baixas são as complicações que surgem como a necessidade de amputação”, conclui o médico.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabete, atualmente no Brasil há mais de 13 milhões de pessoas vivendo com diabetes, o que representa 6,9% da população. Em João Pessoa 7,2% da população têm diabetes, segundo dados da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) 2016.

Ainda de acordo com o Vigitel 2016 o número de pessoas com diabetes cresceu 61,8% em 10 anos e as mulheres são as mais diagnosticadas com a doença. A pesquisa também aponta que o indicador da doença aumenta com a idade e é quase três vezes maior entre os que têm menos escolaridade.

Prevenção – O excesso de peso, má alimentação e sedentarismo são fatores que podem provocar o diabetes. Por isso, especialistas recomendam a prática de exercícios físicos, uma boa alimentação e o controle do peso como prevenção a doença.