STTrans e Curadoria fiscalizam 23 ônibus nesta quinta-feira

Por - em 38

Verificar a existência de assentos reservados e identificados para idosos e pessoas com necessidades especiais nos transportes públicos de João Pessoa. Esse foi o objetivo da fiscalização realizada nesta quinta-feira (13) pela Curadoria do Cidadão e pela Superintendência de Transportes e Trânsito de João Pessoa, no Terminal de Integração do Varadouro.

Durante a fiscalização, feita por amostragem, veículos das empresas Transnacional, Reunidas, Boa Viagem, Mandacaruense, São Jorge e Marcos da Silva foram vistoriados. Dos 23 ônibus inspecionados, apenas dois da empresa Mandacaruense estavam dentro das normas exigidas pela legislação. Os demais se encontravam em total desrespeito à lei tanto com relação ao número de assentos quanto à identificação do lugar. Em alguns veículos, a placa de identificação dos assentos estava em local que dificultava a visibilidade das pessoas; em outros havia apenas um assento disponível para idosos e portadores de necessidades especiais.

De acordo com o Curador do Cidadão, Valberto Lira, as empresas concessionárias têm que cumprir o que determina o Estatuto dos Idosos e a Lei de Acessibilidade no que se refere à reserva de assentos nos ônibus.

Segundo Lira, as empresas são obrigadas a reservar 10% dos assentos dos ônibus para idosos e 5% para pessoas com mobilidade reduzida, de acordo com a capacidade de passageiros. Além disso, as cadeiras devem ser visualizadas pelos ocupantes dos ônibus com placas ou adesivos. Essa ação foi desencadeada depois que a Curadoria do Cidadão passou a receber inúmeras reclamações da falta de cadeiras nos ônibus para pessoas idosas.

O curador Valberto Lira informou que notificará os empresários de transporte coletivos para que cumpram a lei. Além do curador Valberto Lira, participaram da ação a gerente de Transportes Coletivos da STTrans, Ângela Monteiro, o supervisor de transportes, Josenildo Gomes, e assessora da Curadoria do Cidadão, Gilma Alves.

Abrigos de ônibus -O curador Valberto Lira mostrou-se preocupado com a dificuldade que a STTrans tem encontrado na implantação de abrigos nas paradas de ônibus em alguns bairros. Muitos proprietários de residências e comércios não aceitam a instalação desses equipamentos mobiliários. Lira disse que se o impasse continuar vai convidar as partes interessadas para discutir a solução do problema.