STTrans inicia substituição de abrigos das paradas de ônibus

Por - em 24

A Superintendência de Transportes e Trânsito (STTrans) vai instalar nos principais corredores viários da Capital 100 novos abrigos nas paradas de ônibus. A previsão é que a instalação seja concluída até janeiro de 2010. Os novos abrigos possuem designer moderno, bancos e uma área maior de cobertura.

A implantação dos novos abrigos está sendo viabilizada através de um Termo de Compromisso assinado entre o prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho, e os donos das empresas de ônibus operadoras do serviço. Através do termo, os empresários se comprometem a investir em melhorias, como a renovação de frota, implantação e restauração de abrigos.

O primeiro dos novos abrigos foi instalado em frente à Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, no bairro do Altiplano. O equipamento é todo galvanizado e mais leve que os existentes, tornando-se assim mais seguro. Esse primeiro abrigo traz fotos de obras realizadas em João Pessoa e informações sobre serviços públicos. A estrutura dos abrigos é fabricada em chapa galvanizada, em forma de arco com tubo de aço galvanizado e o banco é em metalon de 1.00 m x 0,40 m. Todo o equipamento é pintado através do processo com secagem em estufa a 250 °C. Através desse processo há a garantia de resistência a ação do tempo.

Implantação – João Pessoa possui 1.600 pontos de paradas de ônibus, sendo que em 750 delas existem abrigos. Todos os 100 abrigos que forem substituídos serão remanejados para outros bairros e comunidades para dar mais conforto aos usuários de transporte coletivo.

Além da implantação de novos abrigos, a STTrans, em parceria com as empresas de ônibus, vem realizando a reforma dos equipamentos alvos de vandalismo. “Ao colar um cartaz em um abrigo de ônibus, o indivíduo está cometendo um ato de vandalismo. Mas, além dessa prática, já registramos casos onde os vândalos quebram a própria estrutura do equipamento. Isso é um absurdo, pois ao danificar o patrimônio público se está prejudicando a população, que fica sem o abrigo para se proteger da chuva e ainda vai ter que pagar novamente pela instalação do equipamento”, comentou a superintendente da STTrans, Laura Farias.

Critérios – O diretor de Transportes da STTrans, Adalberto Araújo, explicou que a instalação dos abrigos obedece a uma demanda de usuários e a largura da calçada do local, que deve ter no mínimo 2,50 metros. Outro critério utilizado é a distância média de uma parada para outra, que tem que ser de cerca de 300 metros.

Outros aspectos devem ser observados antes da instalação dos abrigos: eles não podem ser colocados em frente a garagens e a estacionamentos. Segundo a gerente da Divisão de Transporte Coletivo (Dicol), Ângela Monteiro, muitos moradores reivindicam a retirada dos pontos de parada que ficam em frente as suas residências e reclamam do barulho dos coletivos. Em outros casos há moradores que solicitam a implantação, como comerciantes, e realizam até manutenção nos abrigos.

De acordo com Ângela Monteiro, a instalação de abrigos não pode e não deve atender interesses particulares e sim da coletividade. “Antes de instalar um abrigo realizamos estudos e avaliamos todos os aspectos. O que não podemos é retirar um abrigo porque determinado morador não gosta de ter uma parada em frente a sua casa e, nem muito menos, colocar o abrigo em frente da casa de um usuário para que apenas ele seja beneficiado”, comentou.