STTrans suspende junção de linhas de três bairros da Capital

Por - em 25

A Superintendência de Transportes e Trânsito (STTrans) resolveu suspender a junção de três linhas: 101, A 101 e 102, que estavam funcionando de forma experimental desde o dia primeiro de maio. A medida foi adotada após divergências entre moradores dos bairros atendidos pelas linhas. Representantes de algumas comunidades pediram a suspensão da junção, enquanto outros querem que ela permaneça. Como não se chegou a um consenso sobre as mudanças, a junção das linhas será suspensa a partir desta terça-feira (12), até que sejam encaminhadas novas mudanças com a participação de toda a comunidade.

Técnicos da STTrans se reuniram na manhã de segunda-feira (11) com representantes da Comunidades Sepol, Funcionários II, João Paulo II e Esplanada. As próprias lideranças não chegaram a um consenso sobre as mudanças, mas entendem que elas são necessárias. Apenas a liderança do bairro do Esplanada se posicionou de forma contrária as alterações. As demais pessoas defendem a junção das linhas, mas solicitam algumas modificações.

A Comunidade do Sepol quer que a mudança feita permaneça, pois a área em que está localizada passou a ser atendida pelo transporte coletivo urbano. Antes não passava ônibus pelos bairros atendidos. Mesmo retomando ao que era antes, o ônibus continuará circulando pelo local, para que a população não saia prejudicada. Na semana passada, representantes da STTrans se reuniram com moradores do bairro do Grotão, que se posicionaram de forma favorável a junção das linhas, desde que sejam feitas algumas modificações.

Até que se chegue a um consenso, as linhas 114 – Grotão e 101 – Grotão e da A 101 – João Paulo II com 102 – Costa e Silva voltarão a operação anterior a partir desta terça-feira (12). A decisão foi tomada em conjunto com representantes das comunidades atendidas pelo transporte coletivo naquela região. Permanecerá apenas a alteração de itinerário dentro do João Paulo II, no Presidente Médici ; e na linha 102 – Costa e Silva, que continuará atendendo o Sepol.

O diretor de Transportes da STTrans, Adalberto Araújo, disse não entender o motivo das queixas de alguns moradores, uma vez que todos os bairros foram beneficiados com a nova operação, aumentando o número de veículos e de viagens. “Estamos tentando identificar com as comunidades os pontos que precisam de intervenção para que sejam contempladas as reivindicações das comunidades”, comentou.