Supermercadistas visitam Banco de Alimentos da Capital, nesta terça

Por - em 17

Supermercadistas e atacadistas que atuam na Grande João Pessoa vão conhecer nesta terça-feira (27), às 9h30, as instalações do Banco de Alimentos que a Prefeitura de João Pessoa (PMJP) está implantando e deverá inaugurar no próximo mês de dezembro. Eles serão acompanhados pelos secretários acompanhados de Desenvolvimento Social (Sedes), Alexandre Urquiza, e de Planejamento, Luciano Agra. O Banco de Alimentos funcionará na rua Waldemar Naziazeno, 233, no bairro do Geisel, no antigo depósito da cervejaria Antarctica.

O Banco de Alimentos é uma ação da Política de Segurança Alimentar e Nutricional da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), através da Sedes, em parceria com o Governo Federal, e tem como objetivo coletar alimentos fora dos padrões de comercialização, que não apresentem nenhuma restrição de caráter sanitário, ou seja, são próprios para o consumo humano, por meio da articulação do maior número possível de doadores, a fim de minimizar as necessidades básicas da população em situação de vulnerabilidade alimentar e nutricional.

O secretário Alexandre Urquiza explicou que durante a visita os empresários conhecerão o equipamento e poderão se ver como parceiros necessários ao êxito da função do Banco de Alimentos. “O Banco de Alimentos será o elo entre o supermercadista, atacadista ou feirante, que tem o alimento em condição de consumo, mas sem o visual adequado para ir às prateleiras, e as entidades e famílias do município em situação de vulnerabilidade social e que precisam desta ação de responsabilidade social”.

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Paraíba ocupa o 3º lugar no ranking dos estados com maior taxa de insegurança alimentar e nutricional, ficando atrás do Maranhão e Roraima; na região Nordeste, ocupa o 2º lugar. São 1,4 milhões de paraibanos em situação de insegurança alimentar (cerca de 48% da população) , 637 mil em situação grave (15,1%).

Supermercados, restaurantes e armazéns de produtos agrícolas do Estado desperdiçam juntos cerca de 6,5 mil toneladas de gêneros alimentícios por mês, que poderiam saciar a fome de pelo menos 162,5 mil pessoas/mês, de acordo com dados do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea). Já o presidente da Associação de Supermercados da Paraíba (ASPB), Cícero Bernardo da Silva, revela que o desperdício do setor fica em torno de 2% de tudo que circula nos seus armazéns, cerca de R$ 10 milhões/ano.