Técnicos da Semam realizam limpeza dos coqueiros e vegetação rasteira da orla

Por Jô Vital - em 247

Nesta terça-feira (12), as equipes da Secretaria de Meio Ambiente (Semam), com apoio de outras secretarias, está fazendo a limpeza dos coqueiros e da vegetação rasteira da orla de João Pessoa.

As equipes da Poda Programada da Semam estão fazendo a poda de assepsia – que consiste na retira galhos e frutos secos. Desta forma os coqueiros são revitalizados, com o nascimento de novos frutos e ficam livres de possíveis fungos e bactérias que tenham atingido os galhos secos.

A poda, com a retirada dos cocos, também é muito importante para evitar acidentes, já que os coqueiros chegam a atingir até 30 metros de altura.

O trabalho é executado pelos técnicos, que utilizam um caminhão muck, retirando galhos e já fazendo a tritura do material, que será transformado em adubo e levado para o Viveiro Municipal de Plantas Nativas.

A Autarquia Especial de Limpeza Urbana (Emlur) também está atuando nessa ação, com o trabalho de 40 agentes de limpeza, que estão recolhendo parte do material entre as praias de Cabo Branco e Tambaú.

 Os 24 quilômetros de praia de João Pessoa têm aproximadamente 400 coqueiros, planta originária da Ásia, trazida para o Brasil pelos colonizadores portugueses no século XVI.

O serviço  – A Poda Programada é feita por meio de planejamento, acompanhada pelos técnicos da Divisão de Arborização e Reflorestamento (Divar)  da Semam.  Já os técnicos da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb) são responsáveis pelas podas mais urgentes e pontuais, de árvores com risco de queda. Para todas as situações é necessário o laudo dos técnicos da Semam, autorizando a poda. As árvores localizadas nas vias públicas são monitoradas pelas equipes da Semam e Sedurb.

O secretário de Meio Ambiente, Abelardo Jurema Neto, destacou que o trabalho da poda é importante para a manutenção do patrimônio ambiental da cidade.  “Nossos técnicos avaliam a condição fitossanitária das plantas, observando se estão infestadas por cupins ou outras pragas, fazendo exame de ultrassom, verificando a condição das raízes”, destacou.