Teste gratuito de HIV no ‘Dia de Combate à Aids’, nesta sexta

Por - em 20

Dentro da programação de atividades do ‘Dia Mundial de Combate à Aids’, lembrado em 1º de dezembro, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) vai oferecer à população de João Pessoa o exame gratuito de HIV, no Terminal Rodoviário da cidade, na tarde desta sexta-feira (30). Já durante a manhã do sábado (1º), um grupo de teatro fará uma apresentação no Ponto de Cem Réis (Viaduto Damásio Franca), no Centro, com o objetivo de chamar a atenção da população para as diversas formas de prevenção às doenças sexualmente transmissíveis (DST).

De acordo com o coordenador de DST/Aids de João Pessoa, Roberto Maia, a atividade no Terminal Rodoviário terá um caráter preventivo e assistencial, com a disponibilização de uma equipe multiprofissional que fará, num espaço reservado, o aconselhamento pré-teste para a coleta do material biológico e análise sorológica. A equipe também fará uma abordagem educativa com os transeuntes, com a distribuição de material contendo as formas de prevenção da doença.

No sábado pela manhã, será a vez da apresentação da peça ‘Boi de Feira’, pelo grupo da ONG Amazona, no ponto de Cem Réis. A apresentação envolve poesia, dança e artes cênicas, ressaltando também o uso do preservativo como instrumento mais eficiente na prevenção às DST.

Campanha na cidade – Ainda durante o sábado, a SMS vai lançar uma campanha na mídia intitulada ‘A Aids gosta de variar e você não vai deixar’, em que busca abordar os diversos públicos que correm risco de contrair o vírus HIV, em todas as faixas etárias. Ainda de acordo com Roberto Maia, a proposta da campanha, que será realizada durante o mês de dezembro, é direcionar a cada cidadão a responsabilidade sobre a prevenção das DST, independente da idade.

Números da Aids
– Em João Pessoa há 860 pessoas notificadas com Aids, de 1985 a novembro de 2006, o que representa 33% dos casos notificados na Paraíba. Desse público, 26% são mulheres e 74% são homens. A maior incidência é com os heterossexuais, com 52% dos casos, seguidos pelos bissexuais 15%, homossexuais 13% e usuários de drogas e/ou transfusão de sangue 1%.

Em relação à faixa etária, 2,1% são menores de 9 anos; 1,5% estão na faixa dos 10 a 19 anos; 49% estão na idade dos 20 aos 34 anos, enquanto que 39% estão entre os 35 aos 49 anos. Segundo a coordenação de DST/Aids do município, o dado mais alarmante, apesar de não ser o número mais alto, está entre o público acima dos 50 anos com 8,4% dos casos, indicando que enquanto as outras faixas têm uma tendência de estacionamento do crescimento do número dos casos, esse grupo é apontado como o mais vulnerável à contração do vírus, em virtude do prolongamento da vida sexual e da resistência ao uso do preservativo.