Torneio Internacional de Xadrez vai até quarta-feira na Capital

Por - em 25

O ‘1º Torneio Internacional de Xadrez Cidade de João Pessoa’ teve início na tarde desta sexta-feira (30), na Estação Cabo Branco – Ciência Cultura e Artes, no Altiplano. A presença de enxadristas de renome nacional e internacional deixou cerca de 50 alunos da rede municipal de ensino entusiasmados e com grande expectativa para absorver estratégias de jogo. O evento segue até a próxima quarta-feira (4) em nove rodadas de competições, sendo duas por dia, às 9h e 21h. Devido o feriado do Dia de Finados, na segunda-feira (02) não haverá competição.

Na solenidade de abertura, o secretário de Esporte, Juventude e Recreação da Capital, Alexandre Urquiza, disse que ficou emocionado em ver os alunos interessados no xadrez e afirmou que eles são fortes potencias para as Olimpíadas de 2016. Ele confirmou que se depender do Governo Municipal esse será o primeiro de uma série de torneios.

Já o secretário da Federação Paraibana de Xadrez (FPBX), Fernando Melo, revelou que através desse torneio a Confederação Brasileira de Xadrez (CBX) está dando mais apoio ao Nordeste, além de estimular e incentivar os enxadristas locais. Outro ponto importante em sua declaração foi em relação à importância do apoio do poder público, que abriu as portas para esse evento. “A Prefeitura tem incentivado muito a prática do xadrez na Capital, através do xadrez escolar e no apoio a um evento desse porte”, disse Fernando Melo.

A sala de Convenções 2 da Estação Cabo Branco estava cheia, mas o que imperava no local era o silêncio e a concentração. Os 10 competidores, GM (Grande Mestre) Darcy Lima (BRA), GM Luis Galego (POR), MI (Mestre Internacional) Fernando Diogo (POR), MI Jorge Chauca (PER), MF (Mestre FID) Ernerto Rodi (ARG), MF Francisco Cavalcanti (PB), MF Carlos Henrique Pinto (RN), MN (Mestre Nacional) Marcos Souza (PB) e MF Luismar Brito (Avulso), se dividiram em duplas e deram início a rodadas que podiam durar no máximo 4 horas, sendo que cada um tem até 2 horas para finalizar a partida.

Cada competidor anotava sua jogada, acionava ou paralisava o relógio do tempo. Alguns se espreguiçavam, outros caminhavam, mas o silêncio e o olhar estavam voltados para o tabuleiro. As crianças não perdiam nenhum detalhe e ficavam paralisadas, prestando atenção às estratégias daqueles que tem muita experiência em xadrez.

Lucas Monteiro Bezerra Pinheiro, de 12 anos, estudante da Escola Municipal Carlos Neves da Franca, no José Américo, pratica xadrez há quatro anos, desde que o projeto Xadrez Escolar foi implementado pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), como parte do currículo escolar.

“No começo eu achei muito difícil, mas nunca pensei em desistir. Já participei de três campeonatos entre as escolas e ganhei duas medalhas. Estou muito contente em poder assistir enxadristas de outros países jogando na minha frente. Quero prestar atenção em cada jogada”, enfatizou Lucas.

Já Iuri Silva de Andrade, de 11 anos, também da mesma escola e com quatro anos de prática no xadrez, disse que esse esporte o ajudou a melhorar na escola, pois hoje tira notas boas. “Já participei de seis campeonatos e ganhei duas medalhas. Nunca vi profissionais tão fortes e quero captar toda a experiência que eles passarem nos jogos”, disse Iuri.

Ângela Cristina Medeiros, de apenas 10 anos, também aluna da Escola Carlos Neves da Franca, começou a participar do projeto Xadrez Escolar este ano, mas afirmou que já sabe jogar, pois pratica todos os dias com os irmãos. “Aprendi rápido e com esse torneio quero ficar ainda mais craque ao observar os enxadristas. Eu pretendo treinar muito para participar das Olimpíadas de 2016”, relatou Ângela.