Tratamento de fisioterapia e psicologia do ICV ajudam mães para hora do parto

Por - em 211

Orientação postural, diminuição de desconforto com exercícios físicos, orientação pré e pós-parto e acompanhamento psicológico são algumas das atividades do grupo de fisioterapia e psicologia para gestantes no Instituto Cândida Vargas (ICV) da Prefeitura Municipal de João Pessoa. O trabalho feito na maternidade ajuda na preparação do parto e passa mais confiança às mães, principalmente as que estão na primeira gestação.

O trabalho com o grupo de gestantes é feito pela fisioterapeuta Bruna Cavalcanti e a psicóloga Telma Santos. “Fazemos um trabalho integrado de preparação das mães para toda a gestação. O ideal é que elas participem a partir do terceiro trimestre porque informamos sobre nutrição, planejamento familiar, sexualidade na gestação e aleitamento materno, por exemplo, tudo com a realização de palestras, que ocorrem após a fisioterapia e a sessão de psicologia em grupo”, explicou Bruna Cavalcanti.

De acordo com ela, as gestantes também têm a oportunidade de praticar os cuidados com o recém-nascido. “Nós utilizamos um boneco de bebê para elas treinarem, mas, além disso, falamos da importância de cuidados básicos, a exemplo da realização de exames, como o da orelhinha, e os cuidados após o parto”, frisou a fisioterapeuta.

Ela destacou que no grupo há muitas mães adolescentes e que este trabalho serve de embasamento para a prática efetiva da maternidade. Quanto ao trabalho de parto, os exercícios posturais e de respiração ajudam na hora de dar a luz, sobretudo, nos partos normais.

“Eu também atuo no trabalho de parto e quando encontro as participantes do grupo vejo que elas têm uma postura mais segura que as demais. Elas sabem como fazer força corretamente no parto normal”, afirmou Bruna Cavalcanti. Contudo, ela destacou que as atividades do grupo são para todas as gestantes, não apenas as que estão em gravidez de risco ou as que terão parto normal.

Segundo a psicóloga Telma Santos, o grupo possui muitas adolescentes, sendo importante o repasse de informação e a troca de experiências. “Quando garotas engravidam, esta gestação é considerada arriscada porque na adolescência o corpo se modifica muito, já que ainda está em formação. Então, temos que fazer este acompanhamento”.

Para a futura mãe Jéssica Rodrigues, de 18 anos, que está com 16 meses de gestação, o trabalho desenvolvido realmente funciona como uma terapia. “Nós trabalhamos muitas coisas aqui e uma das melhores partes é a terapia em grupo, quando contamos nossos problemas e aquilo que nos incomoda, e as coisas boas também. Estamos todas passando por situações parecidas e é muito bom compartilhar isto porque, às vezes, em casa, não temos com quem conversar sobre isto”, disse ela.

Também mãe de primeira viagem, Ranessa Kawren, de 16 anos, recém-chegada ao grupo, disse que já está aprendendo bastante sobre a gestação. “Eu faço meu pré-natal no ICV e fui encaminhada para o grupo. Participei de apenas três encontros, mas estou recebendo orientações para ter uma gestação consciente. Estou tomando cuidados com minha alimentação a partir das dicas que tive, para estar bem nutrida e não comer bobagens”.

Já Ecrian Suélen de Lucena, de 22 anos, decidiu participar do grupo por orientação psicológica. Em sua segunda gravidez e com 20 semanas de gestação, ela está aproveitando para adquirir mais experiência nos cuidados consigo mesma neste período delicado da saúde da mulher. “Acabo de me integrar ao grupo e esta experiência tem sido positiva. Pretendo continuar até chegar a data de ter o meu filho.

De acordo com Telma Santos, mesmo após o parto, as mães retornam ao grupo para compartilhar suas experiências com as demais. A participação das atividades de fisioterapia e psicologia no Instituto Cândida Vargas é gratuita. As reuniões acontecem às quartas-feiras, das 8h às 10h, no ICV. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3015 1558.