Trotes para Samu chegam a 40% e PMJP faz campanha para reduzir índice

Por - em 68

Levantamento da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) aponta que 40% das ligações diárias para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) são trotes. São cerca de 800 registros de ligações a cada dia, solicitando o serviço, dos quais 320 são chamados falsos. Já outras 150 ligações resultam em envio de ambulância. Para diminuir o índice de trotes, a coordenação do Samu tem desenvolvido campanhas educativas para conscientizar o mau uso das chamadas telefônicas para o serviço.

Uma das primeiras iniciativas de combater a prática dos trotes é a veiculação de pequenos vídeos, nas redes de televisão, com mensagens de uso consciente dos serviços do Samu. A mensagem que o serviço pretende passar é que a pessoa que faz a ligação falsa também pode ser vítima e que a obstrução das linhas telefônicas compromete a agilidade do atendimento.

Além dos vídeos, a coordenação também aposta em palestras para todas as faixas etárias em que também são abordados temas como a importância da agilidade no serviço do Samu e o uso consciente deste serviço. Representantes do Samu vão até escolas públicas, privadas, além de diversos órgãos públicos. “Participamos de campanhas educativas em parceria com o Detran e STTrans especificamente com os setores de educação para o trânsito e também participamos de alguns eventos esclarecendo junto à sociedade sobre a importância do nosso serviço e quais os tipos de ocorrências que nós atendemos”, revela o coordenador geral do Samu, Cláudio Régis.

Identificador de chamadas – O trote configura contravenção punida com pena de detenção e multa. No caso do Samu, o trote ainda é considerado uma tentativa de restrição ao serviço público de emergência, com pena prevista no artigo 256 do Código Penal: reclusão de um a cinco anos e multa. Mesmo com pena prevista em Lei, os trotes ainda são constantes e o Samu já conta com um identificador de chamadas mesmo para as pessoas que inibem a identificação do telefone.

A Central do Samu possui identificador de chamadas onde o TARM (Técnico auxiliar de regulação médica) identifica o número que está ligando. No mês de setembro, a Anatel, em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde, disponibilizou um link onde o TARM entra no sistema pela internet e identifica se a ligação está sendo originada de um orelhão e onde ele está localizado.

A campanha de conscientização contra a prática do trote no atendimento do SAMU também pode ser vista através do link: http://www.youtube.com/watch?v=PRTxsJvjqts