TV Cidade: ‘Cine Mulher’ vai apresentar mais quatro curtas

Por - em 24

O programa ‘Cine Mulher’ encerra o mês de março exibindo neste fim de semana, na TV Cidade João Pessoa (canal 8 da Big TV), mais quatro curtas-metragens com temáticas do universo feminino, dois deles contando histórias em forma de ficção da mulher na infância.

O primeiro é ‘Alma’, do videasta paraibano André Morais, e o segundo ‘A peste de Janice’, uma adaptação do conto homônimo de Luís Augusto Fischer e dirigido pelo cineasta gaúcho Rafael Figueiredo, que retrata uma prática social violenta, a do ‘bullying’ nas escolas. Com apresentação de Edileide Vilaça, o ‘Cine Mulher’ vai ao ar aos sábados e domingos às 15h com reprise às 21h.

‘Alma’ – Nesse curta, o diretor enfoca o olhar de uma menina sobre seu cotidiano. Numa casa isolada vivem Alma e sua avó. Num dia comum, a protagonista acorda e se olha no espelho que, por estar quebrado, tem um reflexo distorcido da menina. Com esse simples fato, ela entra num processo de questionamentos de si mesma, do existir e do mundo. Com um olhar puro, Alma observa as coisas com a admiração e o espanto da primeira vez. A noite chega e finda o dia, para surgir outros como todos iguais de sua vida, e Alma continua a questionar, pois esse é o combustível para continuar vivendo.

O filme já foi premiado como melhor curta de ficção no sétimo ‘Alucine – Festival Latino Americano de Cinema’, em Toronto no Canadá, e também o melhor curta universitário brasileiro no ‘Prêmio MEC’. No elenco, Luana Emília e Zezita Matos, e roteiro, direção e produção por André Morais.

‘Bullying’ – Em ‘A peste de Janice’ diretor traz a tona a questão da discriminação dentro do meio acadêmico. Janice, filha da faxineira de uma escola, é excluída pelas colegas devido a sua posição social. O final da película deixa o público curioso. A única amiga de Janice, que só fala com ela quando está longe das outras meninas, fica sem saber o que fazer quando precisa escolher entre as colegas e a amiga discriminada.

Na sala de aula, Janice é vítima de um problema de aceitação social: por ser filha de uma funcionária e usar roupas menos polidas do que as outras colegas, acaba virando alvo de uma brincadeira: todos que a tocam dizem que estão com a ‘peste de Janice’ e devem passar a ‘doença’ para outra amiga. Apesar da trama, o diretor Rafael Figueiredo dificilmente foca os pensamentos da garota, que são facilmente traduzidos por seu olhar, mas nunca confirmados pela narrativa.

A tentativa de denunciar um preconceito social que nasce com os pais é clara em Figueiredo. Em determinado momento, uma das meninas que pegou ‘a peste de Janice’ das colegas, fala para a professora que está com seu corpo coçando. “Deve ser sujeira”, diz a personagem no diálogo, abafada por risadas irônicas.

Outros curtas – Também estão programados os curtas-metragens ‘’Gênero, mentiras e videoteipe’, com direção de Lucila Meirelles, e ainda ‘Acorda, Raimundo… acorda’, de Alfredo Alves, que tem no elenco Paulo Betti, Eliane Giardini, José Mayer e Zezé Motta, e se baseia em radionovela de José Ignácio Lopez Vigil.