Valentina encena ‘Auto de Natal’ com apoio da PMJP, no sábado e domingo

Por - em 41

A Comissão de Arte e Cultura do bairro Valentina Figueiredo apresenta, no próximo final de semana, o ‘II Auto de Natal Cantigas Para Ninar o Menino’. O espetáculo, com texto e direção de Mizael Batista, tem entrada gratuita e acontece nestes sábado (15) e domingo (16), sempre a partir das 19h30, na ‘Vila Cowboy’, localizada naquela comunidade, com patrocínio da Prefeitura de João Pessoa (PMPJ), através da sua Fundação Cultural (Funjope) e outras secretarias municipais.

A proposta de encenação do espetáculo que retrata o nascimento de Jesus Cristo, uma opereta com danças populares e cantigas de roda, tem o intuito de fomentar a cultura popular no ciclo natalino e integrar os grupos teatrais e artistas da comunidade, através da realização de um projeto coletivo, que insere moradores, comerciantes e instituições públicas e privadas, além de ser uma oportunidade de levar ao público uma mensagem de paz e confraternização universal.

Elenco – Cerca de 150 pessoas estão envolvidas diretamente no espetáculo, sendo a grande maioria moradores da própria comunidade, divididos em direção, produção, cenografia, músicos, bailarinos, atores, figurantes e equipe técnica, além das participações especiais do ‘Coral da Unimed’, um grupo de 25 crianças da Comunidade Católica Santa Clara e o ‘Grupo de Mulheres da Melhor Idade Nova Esperança’, coordenado pela professora Iolanda Pequeno.

Durante o espetáculo, o grupo de crianças convidado participa de uma das cenas mais marcantes e emocionantes da encenação, cantando ‘Romã-romã’, uma cantiga de ninar de domínio público, acompanhada da fala de um personagem cômico, interpretado pelo ator Cláudio Silva, morador do bairro, e bastante conhecido na Capital como o palhaço ‘Tel Pastel’.

O diretor Mizael Batista fala um pouco do espetáculo, que segundo ele faz um paralelo com a violência na atualidade. “O espetáculo tem início com a ‘Pietá’, quando aparece uma mãe, embalando o seu filho morto, num paralelo com o que acontece com muitas mães aqui na nossa comunidade, inclusive as que participam do espetáculo este ano. Após esse fato, entra em cena a figura do narrador, que apresenta a história fazendo o paralelo com mães que perderam seus filhos. No final da peça, acontece a ‘Pietᒠao contrário, quando os filhos recebem as mães de forma bastante carinhosa”.

Mais informações com Mizael Batista, pelo telefone 8869-8936.