Vândalos destroem papeleiras e geram R$ 70 mil de prejuízo

Por - em 21

A Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) contabilizou nestes primeiros 20 dias de janeiro, um total de 12 papeleiras e três contentores (120 litros) depredados na Capital. Em 2009 foram contabilizadas um total de 238 papeleiras (50 litros) danificadas em toda cidade, o que custou quase R$ 70 mil aos cofres públicos. Em toda a cidade existem 1.150 papeleiras.

De acordo com o diretor de Operações da Emlur, Francisco Lucas Rangel, a empresa recolhe por mês cerca de 20 papeleiras depredadas, gerando uma despesa de aproximadamente R$ 6.000,00. “ É uma média muito maior em relação ao mesmo período do ano passado. Essa conta vem para o nosso bolso quando pagamos impostos como a Taxa de Coleta de Resíduos. Todos os custos que a Emlur tem, de uma certa forma, acaba refletindo na TCR do ano seguinte”, explicou o diretor. Ele lembrou que o cuidado com o bem público traz benefícios que não podem ser mensurados em ordem financeira: a qualidade de vida, a saúde e a preservação do meio ambiente.

Além dos prejuízos causados aos cofres públicos, a inutilização desses dispositivos gera transtornos à população, que fica temporariamente sem local para descartar apropriadamente o seu lixo produzido na rua. Um resultado prático desse problema é o entupimento de bueiros e galerias pluviais no centro e nos bairros. Neste período de chuva é comum ruas e avenidas ficarem alagadas, causando transtornos à população.  

Mais visados – O Centro e os bairros da orla marítima são as áreas que sofrem mais nessa época do ano com a depredação de papeleiras. No Centro, a maior incidência de vandalismo tem sido registrada nas proximidades do Terminal de Integração do Varadouro, na Avenida General Osório e na vizinhança do Lyceu Paraibano, além da avenida Epitácio Pessoa e nas praças.

Para reduzir o número de papeleiras quebradas ou queimadas, a Emlur pretende atuar na conscientização da população. O diretor Francisco Lucas informou que será realizada uma campanha educativa para sensibilizar os pessoenses a preservar a natureza e o bem público.

Vandalismo é crime e o Artigo 88 do Código de Posturas do Município obriga os infratores a ressarcirem os prejuízos pelos danos causados aos bens públicos. Já no Artigo 163, inciso III, do Código Penal Brasileiro, é prevista a aplicação de multa e detenção de seis meses a três anos para quem destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia contra o patrimônio do município. A colaboração da população é importante, denunciando os infratores e ajudando a manter a cidade limpa.

Se você encontrar alguma papeleira danificada pela cidade, pode informar a Emlur através do SAC – Serviço de Atendimento ao Cidadão – “Alô Limpeza”, que recebe denúncias, reclamações e pedidos de retirada de lixo ou limpeza de ruas e terrenos, através do telefone 0800 083 2425. A ligação é gratuita e as informações são encaminhadas para os setores competentes.