Vídeo e poesia abrem temporada de debates do ‘Que tal quinta?’

Por - em 91

A nova temporada do projeto “Que tal quinta?” terá como foco os temas literatura e gênero. Os debates e a roda de diálogos começam nesta quinta-feira (28), a partir das 18h, na ‘Sala Funjope’. A atual edição traz como convidadas a autora paulista radicada no Ceará Nina Rizzi e a poetisa potiguar Marize Castro, com mediação do jornalista Tiago Germano. O projeto é uma promoção da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por intermédio da Fundação Cultural (Funjope).

No encontro, também acontece o lançamento do livro de poemas ‘Lábios-espelhos’, de Marize Castro, e a exibição de um vídeo com a obra de Nina Rizzi. Em seguida, cada convidado fará a apresentação de sua obra, abordando conceitos e provocações literárias, seguindo a estrutura de perguntas e respostas, com espaço garantido para intervenções da plateia.

Que tal quinta? – O projeto literário, de caráter aberto e lúdico, acontece sempre na última quinta-feira de cada mês, com a participação de dois ou mais convidados para um debate sobre um ou mais temas ligados à obra de cada autor. Também há espaço para performances poéticas, recitais, exibição de vídeo e lançamento de obras, com o objetivo de promover a interlocução entre autores e consumidores de obras literárias, estimulando a produção e descentralizando os bens e as expressões culturais da Capital.

Sobre as autoras – A escritora, historiadora e militante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Nina Rizzi, reside atualmente na cidade de Fortaleza, no Ceará. Tem textos e poemas publicados em antologias, nas revistas ‘VacaTussa’ e ‘La Papa Ruchada’ (Argentina), e em várias páginas da internet, entre elas, Germina, Garganta da Serpente e Balaio Porreta. Edita o blog Ellenismos, escreve no Putas Resolutas e é uma das autoras presentes em “Dedo de Moça — uma antologia das escritoras suicidas” (São Paulo: Terracota Editora, 2009).

A escritora e jornalista Marize de Castro foi editora do jornal literário ‘O Galo’, da Fundação José Augusto, que reuniu um material literário significativo do Rio Grande do Norte, dando uma valiosa contribuição à cultura do Estado. Além de editora, como poetisa publicou ‘Marrons crepons marfins’ (1984), que recebeu o Prêmio de Poesia da Fundação José Augusto, e ‘Rito’ (1993). Em 1996, Marize publicou ‘Poço. Festim. Mosaico’, onde utiliza uma linguagem que oscila entre a prosa e a poesia e se nutre dos principais mitos e musas da literatura ocidental.

Serviço

‘Que tal, quinta?’

Quinta-feira (28) – 18h

Sala Funjope – 3º piso da sede da Funjope (Rua Duque de Caxias, nº 352, Centro)

Mais informações: 3218-9811 (André Aguiar)