Vigilância Sanitária interdita berçário clandestino na Capital

Por - em 18

A Gerência de Vigilância Sanitária do Município (GVS) interditou um berçário que estava funcionando clandestinamente e em condições higiênico-sanitárias precárias, oferecendo risco à saúde das crianças. A GVS tomou conhecimento da situação através de denúncia anônima. O local, que fica na Rua Eurípedes Tavares, no Centro de João Pessoa, estava com o fornecimento de água cortado desde novembro de 2008. A interdição aconteceu às 14h desta sexta-feira.

Segundo a coordenadora do Serviço de Saúde da GVS, Eliane Navarro, uma equipe verificou a denúncia pela manhã. “Verificamos que eles não poderiam estar com aquelas crianças, primeiro por não terem os documentos exigidos, depois porque não havia condições higiênico-sanitárias adequadas”, explicou.

A coordenadora disse ainda que o berçário não foi interditado no mesmo momento para poder resguardar as crianças. “Não podíamos interditar e deixar as 12 crianças, todas entre sete meses e sete anos, no meio da rua com a dona do local. Por isso, demos um prazo de quatro horas para que os pais fossem buscá-las e depois voltamos e interditamos. Não houve maiores constrangimentos, pois quando voltamos, não havia mais crianças”, comentou. Após a interdição do berçário, foi gerado um processo administrativo-sanitário, que poderá resultar em multa entre R$ 300 a R$ 50 mil.