Vinte e oito jacarés nascem na Bica em projeto de reprodução em cativeiro

Por - em 56

Vinte e oito jacarés, da espécie Caiman crocodilus, nasceram no Parque Zoobotânico Arruda Câmara, a Bica, no bairro do Roger. O espaço é administrado pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), através da Secretaria do Meio Ambiente (Semam). O nascimento dos jacarés, conhecidos pelo nome popular de Jacaretinga ou jacaré de óculos, só foi possível por causa do trabalho dos técnicos e tratadores da Bica, que desenvolveram a reprodução em cativeiro.

“Todo animal tem sua importância no ecossistema. “A reprodução em cativeiro possibilita a manutenção das espécies, que são recriadas fora do ambiente natural e depois são reinseridas, contribuindo para a manutenção da cadeia alimentar”, afirmou Roberto Citelli, veterinário do Parque.

Espécie – Também conhecida como jacaré-de-óculos, por causa de uma crosta ossificada na frente dos olhos, essa espécie de réptil pode ser encontrada na região Nordeste nos Estados do Maranhão, Piauí e Ceará. A espécie também está presente na região Norte.

Os primeiros seis animais da espécie Caiman crocodilus foram enviados ao Parque Zoobotânico Arruda Câmara pelo IBAMA do Ceará no ano de 2008. De acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN ou International Union for Conservation of Nature) a espécie está classificada como pouco preocupante em relação a sua extinção.

Reprodução – A reprodução em cativeiro dos jacarés é desenvolvida na Bica há pelo menos 15 anos. Poucos zoológicos do Brasil trabalham com reprodução de jacarés em cativeiro.

O clima do Nordeste facilita a reprodução dos animais, que precisam ser colocados em pares – macho e fêmea. Em seguida, é preparada a área para o ninho. Em alguns casos, depois da postura, os ovos são retirados e mantidos artificialmente em estufas, com temperatura e umidade controladas.

No caso da espécie Jacaretinga, foram localizados aproximadamente 30 ovos – que estavam no ninho e foram mantidos em ambiente natural. Depois que nasceram, foram resgatados 28 jacarés, que estão sendo mantidos num tanque do ambulatório do Parque, em ambiente com iluminação, temperatura e umidade controladas. Eles ficam dois meses neste tanque e quando completarem três meses serão transferidos para o berçário. Depois de um ano deverão ir para o recinto dos jacarés adultos.

Novos espaços – Com as reformas do Parque, todas as espécies estão ganhando novos recintos, como os Falconiformes (gaviões, falcões e corujas), a Casa de Répteis e o Recinto das Aves, que já estão prontos.

O ambiente dos pequenos mamíferos, como jaguatiricas e raposas, estão em fase de conclusão. Os jacarés também deverão ganhar novos recintos, numa próxima etapa da reforma da Bica.