Violinistas internacionais do Festival de Música elogiam projeto social da PMJP

Por - em 778

Max Oliveira

 

As crianças do projeto Ação Social pela Música do Brasil (ASMB), da Prefeitura Municipal de João Pessoa, tiveram uma segunda-feira (30) especial. Eles receberam a visita dos violinistas Alberto Johnson e Noa Wildschut, que estão na Capital participando do 3° Festival de Musica Clássica. O projeto social é desenvolvido pela Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), com patrocínio da Petrobras.Visita_músicos_AltodoMateus_foto_julianasantos 313

A visita aconteceu no núcleo onde é realizado o projeto, que fica localizado no bairro Alto do Mateus. De olhos bem atentos na performance da violinista Holandesa Noa Wildschut, de 14 anos, as crianças deixaram de lado toda a inquietação para viver um momento que só a música é capaz de propiciar, transformando a sala de concertos em uma simbiose perfeita entre artista e alunos. Para Noa, uma experiência inesquecível que ela vai levar para a distante Holanda.

“Me tocou muito. Fiquei impressionada com o projeto, que acredito, tem o poder de trabalhar no desenvolvimento delas”, disse a violinista que ainda sugeriu um conselho para as crianças do projeto Ação Social pela Musica. “Que acreditem primeiramente no seu próprio potencial. Que tenham confiança no que fazem, façam com amor e sigam os seus sonhos”, finalizou Noa Wildschut, que tocou três músicas solo no violino.

Já Alberto Johnson é brasileiro, mas naturalizado holandês. Além de apresentar o seu talento como violinista do 3° Festival de Música Clássica que acontece em João Pessoa até o próximo sábado (5), também coordena as ações do festival. Para ele, o projeto Ação pela Música do Brasil representa, além de um valor cultural na perspectiva de introduzir a boa música no cotidiano das crianças, tem o seu valor social, já que abrange o estudo e a formação cidadã.Visita_músicos_AltodoMateus_foto_julianasantos 205

“Eu já andei vários lugares do mundo através da música e confesso que ainda não havia visto um projeto como esse, que trabalhasse a música na base, agregando também um valor social. Estão de parabéns”, afirmou o músico.

Ação Social pela Música  São 80 crianças que, além das aulas realizadas de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h. Elas recebem também reforço de português e matemática, além de lanches e cestas básicas mensais, tudo condicionado à frequência mínima de 90% às aulas escolares. O projeto é homologado pela Organização das Nações Unidas, por meio da Unicef.

Entre os alunos está João Rendrick, 12 anos, que toca viola nas aulas do projeto. Segundo ele, a vinda dos músicos representa uma espécie de inspiração para seguir na música. “Adoro assistir as aulas e fiquei impressionado com a violinista. Hoje, vi que realmente é isso que quero fazer na vida”, resumiu o garoto.