Viveiro Municipal inscreve para curso de manejo e criação de abelhas sem ferrão

Por - em 499

O Viveiro Municipal de Plantas Nativas da Prefeitura de João Pessoa (PMJP) está com inscrições abertas para o Curso de Criação e Manejo de Abelhas Sem Ferrão, que será ministrado a partir do final de agosto para agricultores, agentes multiplicadores (como professores) e pessoas que têm interesse e desejam criar abelhas nativas. O curso é gratuito e faz parte do Projeto Meliponários Didáticos.

Os interessados devem ir até o Viveiro Municipal, que fica localizado no bairro Valentina Figueiredo, em frente ao Sesc-Gavatá, para passar por uma entrevista e efetuar a inscrição. “Vamos conversar com a pessoa para saber se ela realmente tem condições de criar abelhas”, disse a bióloga responsável pelo Projeto Meliponários Didáticos, Sandra Sousa.

O curso é dividido em três módulos de dois dias, cada, com turma de 25 pessoas. O primeiro módulo (Biologia e Manejo de Abelhas Sem Ferrão) será ministrado durante dois dias de agosto; o segundo (Técnicas de Divisão das Colméias de Abelhas Sem Ferrão), em setembro; e o terceiro (Coleta e Beneficiamento do Mel das Abelhas Sem Ferrão) em outubro.

“A pessoa vai aprender a biologia da abelha, o comportamento, a diferença entre a meliponicultura e a apicultura e a importância da abelha em relação à polinização. Aprende também a alimentar, fazer a divisão artificial das caixas e a colher o mel com a bomba e com a seringa”, explicou Sandra.

Segundo a bióloga, na apicultura, as abelhas (com ferrão) são mais produtivas, enquanto na meliponicultura (sem ferrão), uma caixinha pode produzir até dois litros e meio por ano. O mel produzido na meliponicultura, além de saboroso, é considerado medicinal, balsâmico e mais rico em princípios aromáticos do que o da apicultura.

Certificado e sorteio de caixa No final do curso, os alunos recebem certificado participam do sorteio de uma caixa de abelhas. Quem for contemplado, assina um termo de compromisso se responsabilizando pelo cumprimento do que aprendeu no curso. Durante um tempo, a equipe do Projeto Meliponários Didáticos da PMJP prestará assistência técnica necessária ao novo meliponicultor.

Oficinas – Além dos cursos de Criação e Manejo de Abelhas Sem Ferrão, o Viveiro Municipal de Plantas Nativas também oferece oficinas. A próxima está programada para este semestre e será ministrada em uma tarde. “Na oficina, é explicada a biologia da abelha sem ferrão, seu comportamento e rotina alimentar. É um primeiro contato”, explicou Sandra Sousa.

Abelhas sem ferrão – A meliponicultura é a atividade referente à produção de mel, própolis e ceras de abelhas indígenas, ou nativas, que são as abelhas sem ferrão. O meliponário é o local onde ficam abrigadas as abelhas.

No Viveiro Municipal, trabalha-se com abelhas da espécie uruçu (Melípona Scutellaris), nativa da Zona da Mata Atlântica paraibana. Além de produzir mel de ótima qualidade, com propriedades medicinais, elas são responsáveis pela polinização de plantas – acredita-se que cerca de 90% da polinização das flores em uma floresta seja realizada por abelhas nativas.

O Projeto Meliponários Didáticos da PMJP, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam), teve início em 2008, em parceria com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB). O projeto não tem foco comercial, tanto que não se vende mel, cera ou própolis no Viveiro Municipal. Os principais objetivos são a educação ambiental, a formação de multiplicadores e a preservação da Mata Atlântica.

Hoje, a PMJP tem três meliponários: um no Viveiro Municipal, um no Parque Arruda Câmara (Bica) e um no Centro de Práticas Ambientais (Cepan), somando 46 caixas.

Serviço:

O viveiro fica aberto de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h e das 14h às 17h. O telefone de contato é 3214-4936.