Xadrez: agente de limpeza fica com o vice-campeonato

Por - em 34

Em meio aos intervalos do trabalho que desenvolve em João Pessoa, o agente de limpeza Alecsandro Pereira Gabriel, 26 anos, encontra tempo para treinar xadrez. Para onde vai, carrega o seu pequeno tabuleiro e manuais, onde estuda estratégias do jogo. Ele integra a equipe de roçadeira da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) há cerca de três anos e ganhou destaque ao ficar na segunda colocação no torneio de xadrez da Olimpíada do Servidor, realizada de 22 a 26 de outubro, pelo Governo Municipal.

Esse foi o primeiro campeonato que Alecsandro Pereira participou. “Ficar na 2ª colocação foi um êxito. Tinham três representantes da Emlur e deles eu sou o melhor”, destacou. Animado com o resultado, o agente confirmou que continuará treinando para participar de outras competições. No torneio, ele enfrentou cinco adversários e venceu todos.

“Fazia mais de um ano que não treinava, mas voltei a jogar”, disse. Além de ter aprendido a dominar a arte do xadrez, o servidor ainda repassa seus conhecimentos para outras pessoas. Quando questionado sobre o que o jogo significava em sua vida, ele logo dispara: “Significa futuro e estou certo que jogar xadrez vale a pena”.

O agente de limpeza, que terminou o ensino médio há três anos numa escola pública localizada no Geisel (bairro onde mora), contou que é apaixonado pelo xadrez e relatou como o esporte entrou na sua vida. “Eu estava indo para a igreja e, ao passar na rua, vi uma turma jogando. Fiquei curioso e pedi para jogar”. Cinco anos depois do começo dessa trajetória, Alecsandro cultiva um único desejo: dedicar-se aos movimentos dos bispos, rainhas, reis, torres, cavalos e peões.

O começo não foi fácil, conforme relatou. “Eu era o saco de pancadas, perdia para todo mundo”. Não conformado com o seu desempenho, colocou a ‘mão na massa’. “Ficava em casa treinando sozinho, até que me tornei o melhor do bairro”, comentou. Ainda hoje, o campeão usa os horários livres que dispõe estudando a técnica do jogo em livros e materiais que ele copia.

O jogador também falou do orgulho de ser agente de limpeza e de fazer parte da equipe que compõe a Emlur. “Meu trabalho é muito legal. Eu estou sempre limpando a rua e fazendo o bem para a sociedade. Realizamos um trabalho bem feito, como a população espera e somos reconhecidos por isso”.