Xangai e Belê levam a música nordestina ao Som das 6

Por - em 83

O cantor Xangai, com suas composições e adaptações do folclore nordestino, estará no projeto ‘Som das 6’ desta sexta-feira (13). Além do artista, o público poderá ouvir ainda o rufar das alfaias e timbales, juntados à sanfona, violão e som tecno, no trabalho de Sandra Belê. O evento começa a partir das 18h, no Ponto de Cem Réis, Centro da Capital. A realização é da Fundação Cultural de João Pessoa (PMJP).

Baiano da zona rural de Itapebi, município localizado às margens do Rio Jequitinhonha, Xangai é um cantor, compositor e violeiro brasileiro. Desde o primeiro disco, Acontecivento, lançado em 1976, vem marcando o cenário nacional com músicas próprias e adaptações do folclore nordestino, em ritmo de xote, cocos, toadas, baião, xaxado e ciranda.

No vasto currículo de Xangai estão 16 álbuns. Um deles, intitulado Um Abraço pra ti, Pequenina (1998), foi lançado com o Quinteto da Paraíba. O trabalho incluiu apenas músicas de compositores paraibanos. Entre os nomes gravados estão o de José Marcolino, Cassiano, Geraldo Vandré, Chico César e Bráulio Tavares. O disco contou ainda com as participações especiais de Vital Farias, Cátia de França e Pedro Osmar.

Sandra Belê, que fará a abertura da noite, é considerada uma das artistas relevantes para a memória da música brasileira. Ao ouvi-la, em meados de 2004, o músico Sivuca disse ser ela dona de uma “voz primitiva”. A paraibana natural de Zabelê, cidade localizada no Cariri paraibano, deixa seu recado e compromisso com a memória da cultura popular durante as homenagens que faz e também nas interpretações de compositores como Zé do Norte e João do Vale.

Esse show que ela vai apresentar no Ponto de Cem Réis foi intitulado “Baú de Saudades”. Nele, são apresentados ritmos como o xote, coco, ciranda, arrasta-pé, maracatu, xaxado, baião e forró. É um novo “molho” dentro da música tradicional e popular nordestina, em especial da Paraíba.