Zabumbas e Antônio Barros e Cecéu no São João da Capital

Por - em 22

É em clima de reverência aos 80 anos do cantor e compositor, Antônio Barros, que o primeiro grupo de zabumbas do Brasil vai se apresentar neste sábado (12), segundo dia do ‘São João de João Pessoa – O Melhor da Gente’, no palco montado no Ponto de Cem Réis. Estamos falando do Projeto Tamborete, uma ideia originalmente paraibana. Nessa mesma noite será o homenageado da festa, Antônio Barros, fará um show acompanhado por Cecéu e a filha Mayra. A realização é da Prefeitura de João Pessoa, por meio da sua Fundação Cultural (Funjope).

Para Antônio Barros, a homenagem que recebe no ‘São João de João Pessoa’ é, na verdade, um presente para toda a Paraíba. “É muito gratificante, porque meu trabalho vem de uma estrada muito comprida, feito para todos vocês. Então, é um reconhecimento importante principalmente quando é vindo de nossa própria terra. A homenagem, na verdade, não é só para mim, mas para todo paraibano e brasileiro”, ressaltou.

Ao falar sobre o repertório do show, Antônio Barros garante ao público um arrasta-pé para lá de paraibano. “O show ‘Antônio Barros e Cecéu’ não é comum. Afinal, temos mais de 150 clássicos gravados só no Nordeste. Vamos tocar cerca de 40 músicas, sendo todas elas conhecidas. O que já compomos daria para tocarmos dez anos seguidos sem repetir”, brincou. “É uma história através da música”, acrescentou.

Antônio Barros da Silva nasceu em 11 de março de 1930, na cidade paraibana de Queimadas. Quando sobrava tempo para brincar, costumava pegar uma lata vazia de 20 litros, colocava a cabeça dentro, batia do lado de fora com as duas mãos, fazendo ritmo. Ao mesmo tempo, cantava para ouvir sua própria voz com efeito reverberado. Em 1971, ele se encontrou com aquela que seria a sua eterna companheira na música e no amor. Dessa parceria, surgiria “Antônio Barros e Cecéu”, uma dupla responsável por mais de 700 composições, gravadas por intérpretes brasileiros e conhecidas até no exterior.

Zabumbas – Os tambores, presentes na cultura dos diferentes povos, surgiram da necessidade de celebrar ou transmitir mensagens. Os nordestinos herdaram o zabumba dos mouros. O instrumento foi incorporado à cultura do forró, embalada pelos trios “pé-de-serra”, compostos também por sanfona e triângulo. Na Paraíba, o Projeto Tamborete, que vai homenagear Antônio Barros, nesta sexta-feira, tocando canções do compositor, foi iniciado em 2008. Ele é considerado o primeiro grupo de zabumbas do Brasil.
Ely Porto, idealizador do Projeto Tamborete, elogiou a programação do ‘São João de João Pessoa’, que valoriza a identidade nordestina. “A iniciativa do nosso projeto é empreendedora, porque vamos na contramão da mídia. Um dos motivos de colocarmos em prática foi porque nas minhas aulas de percussão eu comecei a ficar preocupado quando as crianças me perguntavam o que era um xote. Percebi que tínhamos ai um problema muito sério”, lembrou. “A prefeitura está de parabéns por integrar a cultura regional”, completou.

Projeto – O Projeto Tamborete faz uso da versatilidade do zabumba para retransmitir as sonoridades do xote, baião, coco, arrasta-pé, xaxado, maracatu, ciranda, samba, sem negar as influências contemporâneas. As aulas oferecidas são gratuitas. A atenção prioritária é para crianças e adolescentes que vivem em situação de risco social.

A programação completa do ‘São João de João Pessoa – O Melhor da Gente’, que está sendo realizado no Ponto de Cem Réis e Praça Dom Adauto, até o dia 29, pode ser conferida no site da Prefeitura Municipal de João Pessoa (http://www.joaopessoa.pb.gov.br/eventos/2010/saojoao/)