Zeca Baleiro e Toninho Borbo animam o Ponto de Cem Réis

Por - em 61

O Ponto de Cem Réis vai literalmente tremer nesta sexta-feira (28), com os shows do maranhense Zeca Baleiro e do paraibano Toninho Borbo. As duas apresentações acontecem na penúltima noite do Projeto Estação Nordeste, que durante todo o mês de janeiro presenteou o público paraibano e turistas com show de compositores e músicos renomados, inclusive internacionalmente. O show começa a partir das 21h. O evento é promovido pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope).

O primeiro artista a mostrar seu trabalho para o público é o paraibano de Campina Grande Toninho Borbo. O músico garantiu que vai fazer um “show explosivo”. “Vou apresentar para o público pessoense algumas composições inéditas, a exemplo de ‘Cuscuz, manteiga e fé’ e o eletrococo ‘Zé molambo’. Será um show energético, com a cara desse gesto novo da música popular brasileira, que tem na mistura sua expressão mais evidente”, definiu o músico. O show de Toninho Borbo vai incluir músicas do seu último CD intitulado ‘Para Fins de Mercado’, além de composições de outros trabalhos, como ‘Volúpia’ e músicas do novo show experimental ‘Samba Groove’. Serão apresentadas cerca de 20 músicas, em uma hora e meia de show.

Esta é a segunda vez que o paraibano é convidado a participar do projeto Estação Nordeste. A primeira foi em 2008, quando laçou um CD e dividiu o palco com Hugo Leão e Chico Correa e Electronic Band. “O Estação Nordeste é um evento consolidado, que reúne grupos internacionais e bons artistas que fazem parte da cadeia produtiva da música paraibana. Estou feliz de fazer parte dessa grande festa. Minhas expectativas para o show são as melhores”, disse Toninho. Ele vai se apresentar com Fábio Alves, no contrabaixo; Beto Cabeça, na bateria e fHz0 (frequência zero), sound systen.

Direto do Maranhão – A principal atração da noite é o compositor maranhense Zeca Baleiro, que promete fazer uma retrospectiva de sua carreira no show do Estação Nordeste, em arranjos contagiantes. O músico será acompanho de seu violão, de Tuco Marcondes (guitarras, violões e vocais), Fernando Nunes (baixo), Pedro Cunha (teclados e acordeom) e Kuki Stolarski (bateria e percussão).

Essa é a primeira vez que o compositor participa do projeto ‘Estação Nordeste’ e promete ao público um show caloroso, com apresentação de canções recentes e antigas. “Fazer show em João Pessoa é sempre especial. A expectativa é grande, afinal faz um tempinho que não toco aí. Além do que, o projeto é incrível”, definiu Baleiro.

Zeca Baleiro garante boas surpresas. O repertório inclui criativas releituras de canções já consagradas pelo público, como ‘Salão de Beleza’, ‘Babylon’, ‘Telegrama’ e ‘Quase Nada’, além de composições de seus trabalhos mais recentes, a exemplo de ‘Você não liga pra mim’, ‘Você é má’, ‘Vai de madureira’, ‘Trova’, entre outras.

Toninho Borbo – O músico nasceu em Campina Grande (PB) e deu início a sua trajetória musical no Festimusi – festival realizado em Campina Grande na década de 1990. Em 2001, realizou o primeiro show solo, ‘Razão Profana’, no 26° Festival de Inverno de Campina Grande. Gravou o primeiro CD ‘Do Beco ao Eco’, em 2003, e surgiu como fenômeno local. Em 2005 gravou um CD demo que teve uma das músicas vencedora de uma promoção nacional realizada por uma empresa de celular. A partir daí, marcou presença em vários festivais de inverno e bienais de arte e cultura pelo País. Em 2007, lançou o álbum ‘Para fins de mercado’, que teve uma boa aceitação da crítica. O álbum levou Toninho a ocupar salas dos Centros Culturais Banco do Nordeste no interior da Paraíba e no Ceará, em maio de 2008. No mesmo ano, participou da Feira de Música de Fortaleza.

Zeca Baleiro – Seu primeiro disco, ‘Por Onde Andará Stephen Fry?’, foi lançado em 1997. Zeca possui na bagagem musical cinco discos de ouro, três prêmios sharp e três indicações para o Grammy Latino de Melhor álbum pop, Melhor álbum pop contemporâneo e Melhor cantor. Para comemorar os 13 anos de carreira discográfica, lançou em 2010 o pacote ‘Vocês vão ter que me engolir’, que inclui o programa da Rádio UOL Biotônico (o programa pode ser acessado tanto via Rádio UOL, quanto no site do artista www.zecabaleiro.com.br), o lançamento de dois CDs (‘Concerto’ e ‘Trilhas’) e o livro ‘Bala na Agulha’, que reúne textos que ele escreve desde 2005 em seu site, tendo como temas a música, literatura, cinema, comportamento, religião e gastronomia.

O CD ‘Concerto’ foi gravado ao vivo em março de 2010, no Teatro Fecap (SP). Neste novo álbum, Baleiro é acompanhado de apenas dois músicos que se revezam em vários instrumentos: Swami Jr. (violonista de formação mais clássica e MPB) e Tuco Marcondes (músico com estilo rock n’roll). ‘Concerto’ traz algumas canções inéditas, como ‘A depender de mim’, ‘Mais um dia cinza em São Paulo’ e ‘Canção pra ninar um neguim’, esta última composta em 1993 para Michael Jackson, e só agora gravada pelo autor.

Já o CD ‘Trilhas’ é uma coletânea das trilhas que compôs para cinema e dança, e que tem participação especial da atriz Rosi Campos. São canções dos espetáculos ‘Mãe Gentil’, ‘Cubo’ e ‘Geraldas e Avencas’; do curta ‘Flores para os mortos’ e do filme ‘Carmo’. ‘Concerto’ e ‘Trilhas’ são os primeiros discos do artista a serem lançados por seu próprio selo, o Saravá Discos.

Zeca Baleiro tem uma característica ímpar nas suas composições, com arranjos especiais e toque de poesia. Ao longo da carreira lançou vários CDs e DVDs. O compositor já mostrou seu trabalho na França, Suíça, Espanha, Alemanha, Angola, Portugal, entre outros países.