Elo cidadão

Articuladores da Participação Popular fortalecem o diálogo entre conselheiros e gestão municipal

24/04/2021 | 09:00 | 210

O processo de construção coletivo da Secretaria Executiva da Participação Popular (SEPP) envolve vários atores sociais. Além dos conselheiros municipais e regionais, os articuladores também fazem parte deste ciclo e têm funções que fortalecem a ligação entre os moradores de bairros, comunidades e a gestão da Prefeitura de João Pessoa, que atua com o objetivo de resolver as demandas que surgem.

Os articuladores fazem visitas a equipamentos dos locais, promovem reuniões, estão sempre em contato com conselheiros, organizam as demandas recebidas e enviam para a equipe da SEPP, que se empenha em resolver as solicitações que chegam para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Dentro desta função, a articuladora Marinês Paulino, que atua na 12º Região, conta que sempre é um desafio mas, ao mesmo tempo, é um trabalho muito gratificante. “Nos deparamos com os problemas, mas também ficamos com o sentimento do dever cumprido quando estes problemas são solucionados”, afirmou. “Sabemos do compromisso desta gestão em atender o povo de João Pessoa. E fazer parte disto, através da secretaria, me deixa feliz como cidadã”, complementou.

O secretário da Participação Popular, Thiago Diniz, enfatizou o valor de cada um dos articuladores que estão na base. “É um trabalho que é imprescindível para que nós, que fazemos parte da Prefeitura, tenhamos garantia que esta ponte está sendo feita com qualidade, eficiência e compromisso. Tudo isso agiliza na resolução das demandas e no atendimento à população”, reforçou.

Aproximação com as comunidades – Para ser um bom articulador é preciso conhecer bem o território, a região para qual foi designado. Magno França é articulador da 10ª Região e conta que tem feito várias visitas a equipamentos públicos, acompanhado os conselheiros, procurando estar ciente das necessidades de cada lugar.

Para isso, as visitas são essenciais. “Já fui conselheiro tutelar na região, também acompanhei outros processos participativos. Mas como tudo é muito dinâmico, as visitas sempre mostram novos aspectos e, assim, vou reconhecendo mais o território, sabendo mais dos conselheiros e estreitando o contato com as lideranças comunitárias”, afirmou Magno.

Atuando na 1ª Região, Jonathan Dario vem realizando várias atividades. Uma delas foi uma parceria entre a SEPP e o Procon-JP, que levou a unidade móvel para o bairro São José, onde vários moradores puderam ser atendidos, evitando o deslocamento até o Centro neste período da pandemia da Covid-19.

Em outra visita, ele já articulou outra parceria na área da saúde – serviço muito demandado pelos conselheiros. Dessa vez, com a Coordenação do Núcleo de Apoio à Gestão Estratégica e Participativa da Secretaria Municipal de Saúde e com o Centro de Desenvolvimento Integral Christina Wolpert, no Bairro São José.

Ponto comum – Para todos eles, cada região têm suas especificidades, mas um fator iguala todas elas: a participação popular como ferramenta de empoderamento e que, de fato, contribui no desenvolvimento dos bairros e comunidades. Eles sabem o papel que têm nesta construção.

“Eu vejo o articulador como o porta-voz da comunidade e uma das nossas funções é dialogar, escutar a comunidade e encaminhar as demandas que chegam através tanto dos conselheiros bem como das lideranças. Para mim é uma honra”, disse Magno França.