Complexo Beira Rio

Prefeitura conclui capacitação de equipe para aplicação de questionário socioeconômico nas comunidades

01/12/2021 | 16:04 | 256

A Prefeitura de João Pessoa, por meio da Unidade Executora do Programa João Pessoa Sustentável (UEP) e do consórcio responsável pelo Plano de Desenvolvimento Comunitário (PDC) nas comunidades do Complexo Beira Rio, finalizou, nesta quarta-feira (1), a capacitação dos técnicos e estagiários responsáveis pela aplicação do questionário de pesquisa para o diagnóstico socioeconômico dos moradores da região. A capacitação teve início nesta terça-feira (30) e contou com o apoio de representantes das secretarias de Habitação, Direitos Humanos e Cidadania, Saúde, Desenvolvimento Social, Educação e de Políticas Públicas para as Mulheres.

O mapeamento socioeconômico é a primeira etapa da pesquisa e será voltado para as famílias ocupantes dos imóveis que estão na zona de intervenção apontadas no diagnóstico de infraestrutura. Para Caio Mário, coordenador urbanístico do Programa João Pessoa Sustentável, a ideia dessa capacitação é nivelar a equipe que estará em campo aplicando o questionário.

“Além do caráter social que o questionário abrange, têm questões que serão fundamentais para parte de projeto e desenvolvimento das ações dentro das comunidades. No cadastro, tem perguntas que serão necessárias para sabermos quais as melhores propostas de projeto nas comunidades”, pontuou Caio.

Para Ana Carolina Gondim, representante da Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres, a importância dessa capacitação se dá em razão das pessoas que vão aplicar o questionário conhecerem o programa e suas especificidades e saber qual o planejamento da Prefeitura de João Pessoa. “Também é o momento de adquirir o conhecimento sobre o instrumental que foi produzido por várias secretarias junto com o consórcio que vai aplicar o questionário”, afirmou.

Essa percepção socioeconômica é fundamental para que seja possível compreender a relação entre os moradores e o seu território, bem como, para aferir as condições de vida da população local. Assim sendo, Ana Gondim conclui que “todas as políticas públicas só podem ser pensadas quando temos informações e dados que nos municiam a planejar e priorizar. Por isso, é preciso conhecer literalmente o território e as pessoas que nele habitam”, observou.

Já para o representante da Secretaria Municipal de Habitação, Rafael Aellan, o trabalho técnico social desenvolve ações para despertar as famílias para se mobilizarem e participarem coletivamente de ações propostas no projeto que promovam a autonomia, o protagonismo e o desenvolvimento da população beneficiária. “Por isso, a proposta de intervenção busca melhorar a qualidade de vida e promover a participação ativa dos moradores dessas comunidades”, frisou.

O diagnóstico socioeconômico tem por finalidade identificar os proprietários dos imóveis na região, verificar as condições de vida da população, os principais serviços, atividades realizadas, acesso às políticas públicas, entre outras questões. A atualização cadastral das famílias que serão reassentadas ocorrerá nos meses de dezembro e janeiro. As datas serão definidas com base em reuniões da Unidade Executora do Programa e lideranças das comunidades.

Programa João Pessoa Sustentável – Promove o desenvolvimento social, urbano e econômico da cidade por meio da redução das desigualdades, da modernização dos instrumentos de planejamento urbano, da prestação de serviços e da administração pública e fiscal. É orçado em 200 milhões de dólares, metade financiada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a outra parte contrapartida da Prefeitura de João Pessoa.