Valorização

Funjope abre duas exposições em homenagem às mulheres no Hotel Globo

02/03/2022 | 14:00 | 537

No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, a Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) abre, nos salões do Hotel Globo, duas exposições elaboradas apenas com nomes femininos. As mostras ‘Bustos Ressignificados: História de Joventina’ e ‘Efemmeras’ acontecem a partir de 04 de março e estarão abertas à visitação até 04 de abril.

“Com estas exposições vamos homenagear e construir um ambiente de acolhimento e visibilidade para as artistas mulheres. Temos em João Pessoa muitas e variadas experiências femininas nos diversos campos da cultura e das artes com as quais a Funjope estabelece vínculos e tem compromissos”, declarou o diretor executivo da Funjope, Marcus Alves.

A ideia da exposição ‘Bustos Ressignificados: História de Joventina’ é dialogar sobre a história e memória de empoderamento de mulheres ao longo do tempo. “São dez esculturas de gesso e tecido com representatividade de bustos femininos, contando um pouco da vida da família da artista visual Jeanne Gleber, responsável pelas obras”, declarou o chefe da unidade do Hotel Globo, Willian Macêdo. Há também esculturas de bonecas e alguns dos objetos estarão à venda.

Jeanne Gleber explicou que a exposição vem de seu trabalho de conclusão de curso, que conta a história da mulher que a criou, chamada Joventina e que faleceu em 2021, aos 116 anos. Ela tinha mania de recolher retalhos. “Os Bustos Ressignificados falam das mulheres engessadas ao longo da história. Eu juntei essas mulheres, os bustos, que significavam muito para ela, e os retalhos. Ela juntava aquilo tudo e fazia dos retalhos uma festa. Aquilo era o mundo dela. A força da mulher, a resiliência e os pedaços de alegria que dão o colorido juntos”, resumiu.

As obras são em técnica mista. “Para mim, realizar essa exposição é um presente. Esperei muito por isso. É a celebração de muita coisa e a continuação da nossa batalha como mulheres”, acrescentou a artista.

Essa exposição vai ocupar o primeiro salão do Hotel Globo e a artista estará constantemente no espaço para dialogar com o público e vender outras obras de artes produzidas por ela.

Efemmeras – A necessidade de uma representatividade das mulheres nas artes é o que move a exposição Efemmeras, que aborda as disparidades entre os gêneros e a invisibilidade das mulheres que lutam para ocupar espaços com igualdade. Assim, 9 artistas – Witch, Dedoverde, Thaynha, Fany, Cyber, Pink, Zona, Hêvilla, Lilith – se reuniram para mostrar que a arte é a soma de todo conhecimento humano e que as disparidades precisam ser repensadas.

A artista Dedoverde ressaltou que a exposição coletiva é um momento importante de expor seu trabalho e mais ainda por ser no mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher. “Vou expor três desenhos, mas tenho também vários trabalhos paralelos como o grafite. É interessante dividir o espaço com outras mulheres e suas obras”, disse.

Fazem parte da mostra mais de 20 obras entre telas, papéis e objetos encontrados nas ruas como suporte para pinturas. Nelas é retratado o universo feminino através das linguagens diversas.

Das obras produzidas pelas artistas visuais, grafiteiras, tatuadoras, professoras, ilustradoras, desenhistas, algumas, como sugere o nome da exposição, são efêmeras. “Com o tempo ou se tirá-las do lugar, elas acabam”, afirmou Willian Macêdo. A exposição será realizada no segundo salão expositivo do Hotel Globo.