João Pessoa Sustentável

Prefeitura conclui ciclo de visitas técnicas e mapeamento das áreas de risco no Complexo Beira Rio

14/10/2021 | 15:30 | 286

A Prefeitura de João Pessoa, por meio do Programa João Pessoa Sustentável, concluiu, nesta quinta-feira (14), o ciclo de visitas técnicas iniciado na semana passada no Complexo Beira Rio (CBR). A última comunidade vistoriada nesta tarde foi a Santa Clara, no Castelo Branco. A ideia é identificar as áreas de riscos e pensar soluções que garantam segurança e qualidade de vida aos moradores.

“O João Pessoa Sustentável é um programa inédito para a cidade de João pessoa, porque irá abranger pelo menos oito comunidades ao longo das margens do rio Jaguaribe. É um estágio novo que João Pessoa viverá no futuro. Essas pessoas, além de serem beneficiadas saindo das margens do rio, receberão moradias. Ou seja, o apelo é pela dignidade dessas famílias, é pelo morar bem e, naturalmente, embelezar, trazer a vida de volta ao rio Jaguaribe que é um ponto crucial que envolve o João Pessoa Sustentável. É fazer com que o rio renasça e possa novamente viver os tempos de outrora. Esse é o grande objetivo, fazer o desassoreamento, a limpeza, evitar que o rio continue sendo degradado”, afirmou o secretário da Defesa Civil, coronel Kelson Chaves.

O diagnóstico deve ficar pronto em quatro meses. A empresa responsável vai desenvolver um projeto de infraestrutura e requalificação urbana para as comunidades onde vivem quase 2 mil famílias. Quem precisar ser realocado terá cinco opções de reassentamento, entre elas, três habitacionais que vão ser construídos a partir de 2022, com 565 apartamentos e desenhos diferentes para atender às necessidades de cada família.

Parque Linear – Esse diagnóstico também servirá de base para o desenvolvimento do Parque Linear às margens do rio Jaguaribe, com intuito de restabelecer uma maior relação das comunidades com o espaço público e possibilitar uma qualidade de vida mais digna à população. O Parque Linear vai se estender em uma área de 2,5 km² e terá a função de proteger as margens do rio no entorno das comunidades e evitar novas ocupações irregulares.