Sedes firma parceria com UFPB para realização do censo da população em situação de rua

04/07/2020 | 07:30 | 238

A população em situação de rua de João Pessoa será conhecida em detalhes a partir de um censo que será realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) da Capital. Para realização desse estudo, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) firmou uma parceria com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB). O acordo foi firmado na quinta-feira (02).

O objetivo principal desse trabalho é impulsionar um estudo social e ocupacional desta população, visando compreender o modo de vida, escolhas, desafios e trajetórias vivenciados no cotidiano, possibilitando o recenseamento e, a partir de seu resultado, pensar novas políticas públicas setoriais e intersetoriais.

“A parceria com a UFPB é importante porque através de ferramentas científicas podemos melhorar nossas políticas públicas pra atender esta população. Temos casas de acolhimento, Centros Pop, a abordagem feita através do Ruartes e também contamos com as pousadas para ajudar no isolamento social durante a pandemia. Mas é preciso sempre estar atento ao que podemos ter a mais para ajudar estas pessoas a retomarem seu caminho para uma vida melhor”, destacou Vítor Cavalcante, secretário de Desenvolvimento Social.

A Sedes será responsável pela aplicação do questionário desenvolvido pela professora Berla Moreira, do Departamento de Terapia Ocupacional do Centro de Ciências da Saúde da UFPB. Os servidores da Diretoria de Assistência Social (DAS) receberam o treinamento necessário para realização desse trabalho e irão cair em campo.

“A parceria tem sido de extrema importância, possibilitando um diálogo a partir das reais necessidades dos serviços e da população por eles assistida, no caso, a população em situação de rua, bem como, no (re)pensar e avaliar os impactos das políticas públicas. Esse trabalho possibilita também o desenvolvimento de pesquisa, extensão e ensino voltadas para as necessidades sociais, que repercutirá na qualidade da formação do discente de graduação em Terapia Ocupacional”, ressaltou a professora Berla Moreira.

Coleta dos dados – A coleta será realizada em dois momentos. O primeiro se inicia na próxima semana com a coleta de dados junto aos que estão nas casas de acolhimento, pousadas, Centro Pop 24 horas, durante as abordagens do Serviço Especializado em Abordagem Social (Ruartes) e também junto aos que recebem atendimento pelo Centro Pop 1.

A segunda fase, prevista para o mês de agosto, será nas abordagens nas ruas, seguindo programação organizada a partir do mapeamento do Orçamento Participativo, nas 14 regiões. A previsão de apresentação dos resultados é setembro de 2020.