PlanMob João Pessoa - Plano Diretor de Mobilidade Urbana

João Pessoa – Patrimônio Nacional

No dia 6 de dezembro de 2007, o Centro Histórico de João Pessoa foi reconhecido como patrimônio nacional, tendo sido inscrito nos Livros do Tombo Histórico e Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Foram tombados 37 hectares de área e estima-se que cerca de 700 edificações, além de ruas, praças e parques históricos integrem esse núcleo. João Pessoa é uma das primeiras cidades fundadas no Brasil, suas edificações compõem um cenário de rara beleza e riqueza ambiental e são de diferentes estilos e épocas. Esses valores histórico, paisagístico e artístico foram determinantes no processo de tombamento.

Com o reconhecimento, veio também o compromisso maior de preservar essa área tão importante para manter vivas a história e a identidade do povo pessoense e também para entender o processo de surgimento das primeiras cidades brasileiras. A área delimitada possui bens que representam vários períodos da história de João Pessoa, a exemplo do barroco da Igreja da Ordem Terceira de São Francisco; do rococó da Igreja de Nossa Senhora do Carmo; do estilo maneirista da Igreja da Misericórdia; da arquitetura colonial e eclética do casario civil, além do art-nouveau e o art-déco, das décadas de 20 e 30, predominantes na Praça Antenor Navarro e no Hotel Globo.

A proposta inicial do tombamento foi feita em 2002, pela Associação Centro Histórico Vivo (Achervo). O pedido foi remetido ao Ministério da Cultura e encaminhado à Superintendência Regional do Iphan. Depois de algumas reformulações no projeto inicial, feitas nos últimos anos, o processo foi concluído e oficializado através de certificado entregue ao prefeito Ricardo Coutinho, pelo presidente do Iphan, Luiz Fernando de Almeida, na festa de comemoração do 423º aniversário da cidade, em 5 de agosto de 2008.

João Pessoa, fundada em 1585, foi um dos primeiros núcleos urbanos do Brasil Colonial e, ainda hoje, guarda na sua estrutura os estilos da arquitetura da época, que ganharam as contribuições de estilos modernos, ao longo dos últimos quatro séculos. Dessa forma, é possível “ler” a história e a evolução da cidade através da sua arquitetura.

O rio

João Pessoa nasceu às margens do Rio Sanhauá e cresceu em direção ao mar. É praticamente impossível falar em Centro Histórico sem se remeter a imagem do rio, que se tornou um ícone da Cidade Antiga. O estuário tinha posição e condições estratégicas para a defesa territorial da cidade. No local, foi instalado o Porto do Capim, que agregava valores econômicos e comerciais à área.

Historicamente, a cidade foi fundada em 5 de agosto de 1585 (data marcada pelo tratado de paz entre os índios tabajaras e os portugueses) com o nome de Filipéia de Nossa Senhora das Neves, sendo denominada Frederica, por ocasião da ocupação holandesa, no século XVII, e, em seguida, Parahyba. Com a Revolução de 1930, surgiu seu nome atual, João Pessoa.