Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses

O Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses é um órgão ligado a Secretaria de Saúde, cujas atribuições estão voltadas para o monitoramento e redução de riscos à saúde da população. Atuamos através da prevenção e controle de fatores de riscos ambientais biológicos e não biológicos que interferem na saúde humana.

A nossa equipe é formada por técnicos de nível superior (Médicos Veterinários, Biólogos, Zootecnista e Bioquímico) e de nível médio (Agentes de Saúde Ambiental, administrativos, laboratorista e digitadores). Dessa forma, o Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses da Secretaria de Saúde de João Pessoa vem planejando, coordenando, executando e avaliando as políticas de controle de riscos biológicos e não biológicos que interferem na saúde humana, desenvolvendo os seguintes Programas:

  1. PROGRAMA DE CONTROLE DE ROEDORES / LEPTOSPIROSE;
  2. PROGRAMA DE CONTROLE DA RAIVA / PREVENÇÃO DE ACIDENTES
  3. PROGRAMA DE CONTROLE DE CRIATÓRIOS URBANOS;
  4. PROGRAMA DE CONTROLE DA ESQUISTOSSOMOSE MANSÔNICA;
  5. PROGRAMA DE CONTROLE DA DENGUE;
  6. PROGRAMA DE CONTROLE DA LEISHMANIOSE VISCERAL;
  7. AMA DE CONTROLE DE ANIMAIS SINANTRÓPICOS E PEÇONHENTOS;
  8. PROGRAMA DE CONTROLE DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO;
  9. INFORMAÇÃO, EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO EM SAÚDE.

Como solicitar esses serviços?
Em todos os programas citados, existe um protocolo de atuação que é determinado pelo Ministério da Saúde, no entanto, mantemos um estreito contato com a população pois ela também podem estar sinalizando situações que ofereçam riscos à saúde. No caso da leptospirose, além das áreas de risco que são monitoradas, fazemos o atendimento à população (inspeção para orientação e, se necessário, aplicação de raticida) quando solicitados. Vale salientar que NÃO faz parte das nossas atribuições o controle de “catitas” no interior de residências. Nossa atuação está voltada para áreas com condições de infraestrutura precárias (coleta de lixo, esgoto, drenagem etc).

O Programa da raiva e prevenção de acidentes é realizado também a partir de um protocolo técnico. A população pode nos ajudar através de informações sobre cães, gatos, morcegos que apresentem comportamento “estranho”. Animais agressivos ou com aversão a luz e barulho, animais que morrem subitamente, animais atropelados, morcegos mortos ou que invadem as residências com vôos incordenados devem ser recolhidos pela Vigilância Ambiental para realização de diagnóstico de raiva.

Além das campanhas de vacinação anualmente realizada, o CVAZ oferta a vacina antirrábica na sua cede (8 às 12 / 14 às 17 hs).
Animais que são abandonados pelos proprietários e que apresentam comportamento saudável, o CVAZ expõe para adoção. Para motivar a população a esta prática, também promovemos feiras de ações. O controle da leishmaniose é feito através da busca de cães reagentes. Para isso, contamos com uma equipe que faz a coleta de sangue dos cães em áreas de maior risco e também ofertamos este serviço no CVAZ no horário anteriormente citado. Realizamos cerca de 600 exoames/mês.

Quando os animais apresentam resultado reagente, são removidos dos domicílios e encaminhados para eutanásia. A leishmaniose em cães não tem cura e mesmo o animal sem apresentar sintomatologia permanece infectando humanos ou outros animais.
O controle dos flebotomínios (mosquito transmissor da leishmaniose) é realizado em áreas cuja presença do vetor foi confirmada através de captura e identificação laboratorial. O trabalho de limpeza do ambiente também é imprescindível para os resultados do trabalho.

A Esquistossomose é outra doença endêmica em João Pessoa e as ações consistem na pesquisa de portadores através de exames coproscópicos (fezes). Cerca de 800 exames são realizados mensalmente pela nossa equipe. Os pacientes portadores da doença são tratados nas Unidades de Saúde da Família.

Para o Controle da Dengue, realizamos visitas bimestrais nos imóveis existentes em João Pessoa e visitas quinzenais em estabelecimentos ou locais com maior risco para proliferação do Aedes aegypti (cemitérios, oficinas, borracharias, recicladoras, obras de grande porte etc). Nas visitas, realizamos inspeção de todo espaço, orientações ao proprietário e quando necessário, eliminação mecânica de criadouros e aplicação de larvicida.

Em áreas cuja rede assistência de saúde detectou casos da doença, nossa equipe vai até o local de residência para uma nova inspeção e aplicação de inseticida de forma espacial (uso do fumacê).

Atendimentos a demandas de animais sinantrópicos e peçonhentos, criatórios urbanos irregulares e oferta de água irregular pela Cagepa também fazem parte da nossa atuação.

Qual a principal razão para a realização de eutanásia no Centro?

O Centro não tem a função de abrigo de animais. Os que aqui são recebidos ou removidos de vias públicas, em sua maioria, apresentam condições de saúde precárias, sendo indicado a eutanásia, como forma de evitar o sofrimento, reduzir o risco de acidentes em vias públicas (automobilísticos e por agressão). Os animais que apresentam uma boa sanidade, permanecem por alguns dias aguardando a adoção. A demanda diária de animais é quase 25/dia e não existe a possibilisade de mantê-los, pela disseminação de doenças, brigas etc.

A população precisa assumir a responsabilidade com os animais e não tratá-los como objetos. É muito comum o descarte do animal por motivos banais: carrapato, queda de pêlo, mudança, late muito etc.

Animais domésticos recebem tratamentos gratuitos no Centro? Se sim, para quais doenças? O Centro recebe doações? Se sim, como os cidadãos podem realizá-las?

O papel do CVAZ é inerente a saúde pública e não ao bem estar animal. Fazemos isso por sermos sensíveis a causa.
O SUS não financia esse tipo de ação, por se ter o entendimento que o bem estar animal tem uma relação maior com a área de meio Ambiente e não com a área de saúde.

Estamos na eminência de inaugurar uma unidade de controle populacional de cães e gatos aqui na sede do CVAZ. A unidade fará esterilização de animais gratuitamente, com o intuito de manter controlada a transmissão da raiva, reduzir o índice de leishmaniose e de acidentes em vias pública. NÃO SERÁ HOSPITAL VETERINÁRIO!

Gerente
Nilton Guedes

Como nos Localizar

Avenida Walfredo Macedo Brandão, n°100, Bancários
Telefone: (83) 3218- 9357
Atendimento à população: 0800 2827959