Oportunidade

Prefeito anuncia nomes dos 20 estudantes selecionados para disputar vaga na Escola do Teatro Bolshoi

28/10/2021 | 17:00 | 736

A tarde desta quinta-feira (28) foi inesquecível para 20 crianças que estudam na Rede Municipal de Ensino e para as suas famílias. Em evento realizado no auditório do Centro Administrativo Municipal (CAM), em Água Fria, elas foram anunciadas como as escolhidas para representar João Pessoa na seletiva oficial para a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, em Joinville (SC).

No total, 350 estudantes nascidos entre 2010 e 2012 passaram pela primeira fase da seleção, que aconteceu em todas as escolas municipais. Na segunda etapa, este grupo foi avaliado pela própria equipe do Bolshoi, que chegou aos 20 nomes que vão viajar a Santa Catarina para os testes finais. São 11 meninas e 9 meninos. A relação completa pode ser vista neste link.

“A volta desse programa foi minha primeira orientação à Secretaria de Educação e Cultura, pois sei da sua importância prática na vida das crianças. Essa é uma oportunidade que muda a vida para melhor. Eles terão educação curricular enquanto trabalham seus talentos com qualificação internacional”, declarou o prefeito Cícero Lucena.

As 20 crianças embarcam para Santa Catarina na quarta-feira (3) acompanhadas dos professores Fernanda Albuquerque, Sandra Alcântara, Theodan Cardoso e Gilmar Araújo. As passagens, hospedagens e alimentações são garantidas pela Prefeitura de João Pessoa.

Ítalo Miguel, de 10 anos, foi um dos escolhidos. Aluno da Escola Luís Mendes, no Cristo, ele conta que está apreensivo, pois é sua primeira viagem de avião. “Estou muito ansioso para viajar de avião, mas principalmente, para passar no teste, dar orgulho aos meus pais e ajudar minha mãe como eu sempre prometi”, afirmou. Ítalo conta que gostava de dançar quadrilha e passinho e que não teve dificuldades para executar os exercícios. “Vou muito feliz e confiante”, concluiu.

Mãe de Ítalo, a dona de casa Edna Oliveira, de 28 anos, disse estar feliz pela oportunidade. “Agora estou mais segura em relação à viagem e ele está ansioso. Nunca tinha notado nele esta habilidade para este tipo de dança e por isso ficamos surpresos e felizes”, contou.

Na Escola do Teatro Bolshoi, as avaliações irão acontecer nos dias 5 e 6 de novembro. Os alunos selecionados serão anunciados pelo prefeito Cícero Lucena ao retornarem de viagem. O prefeito, no entanto, já adiantou que aqueles que não conquistarem a vaga vão ser acompanhados pela Companhia Municipal de Dança.

Geovan da Conceição, hoje coordenador de Dança da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), se emocionou ao relembrar que sua trajetória teve início da mesma forma que a daquelas crianças. Ele foi aprovado na seleção de 2003 e seguiu carreira na dança. “Este momento é muito importante pra mim. Estou extremamente feliz de ver estas crianças nesta posição. Estou revivendo a minha história. Fomos em dez e hoje aquelas crianças dançam em companhias por todo o mundo e se tornaram grandes cidadãos. A dança mudou a minha vida”, destacou.

A secretária executiva de Educação e Cultura, Luciana Dias, falou sobre o trabalho desenvolvido. “Foi um processo de muito amor e empenho, pois temos a certeza e a garantia de que estamos fazendo o bem para essas crianças. Hoje a conversa é de alegria, pois elas vão ter mais uma oportunidade de traçar um caminho de dignidade”, comemorou.

Selecionados – As crianças escolhidas pelo Ballet vão morar em Santa Catarina por oito anos sem qualquer custo para os pais. Isso é possível a partir do convênio firmado entre a Prefeitura de João Pessoa e a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. Além dos custos com moradia, a Prefeitura garante uma coordenadora de apoio durante todo o período da formação.

Apresentações – Durante o evento, os presentes puderam assistir as apresentações de duas bailarinas da Companhia Municipal de Dança. Débora Duane e Maria Luiza Pires dançaram Ballet de Repertório nas modalidades Paquita e Carmem.

A solenidade ainda foi acompanhada pelo Promotor da Infância e da Juventude do Ministério Público da Paraíba, Alley Escorel e pelo presidente da Fundação Cultural de João Pessoa, Marcus Alves.