Papel Zero

Presidente do Consórcio de Informática na Gestão Pública abre semana de capacitação em gerenciamento de processos eletrônicos

10/05/2021 | 10:06 | 507

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP), por meio da Unidade Executora do Programa João Pessoa Sustentável (UEP), inicia nesta segunda-feira (10) o curso de capacitação para multiplicadores do e-Ciga, um sistema de gerenciamento de processos eletrônicos com assinatura e arquivamento digital. É a primeira fase do Projeto Papel Zero que vai otimizar processos, reduzir burocracias e trazer uma economia de aproximadamente R$ 16 milhões ao ano para os cofres públicos. 

O evento vai ser aberto às 16h, no auditório do Centro Administrativo (CAM), em Água Fria, pelo prefeito Cícero Lucena e por Silvio Alexandre Zancanaro, prefeito de Campos Novos/SC e presidente do Consórcio de Informática na Gestão Pública Municipal (Ciga).

O treinamento começa na terça-feira (11) e vai até a sexta-feira (14), com duas turmas por dia. As aulas serão ministradas na sede da UEP, no Duo Corporate Towers, Jardim Oceania III. Cada secretaria municipal terá, em média, dois representantes. Eles ficarão encarregados de repassar o conhecimento adquirido no curso aos demais servidores. A dinâmica foi pensada para evitar aglomeração.

e-Ciga – Contribui para agilizar a tramitação de processos administrativos, ampliar o acesso dos interessados, permitir o envio de informações por meio eletrônico, melhorar a comunicação dos atos processuais, facilitar a recuperação de dados. O sistema também facilita a gestão de documentos e reduz o uso de papel.

CIGA – Consórcio criado em 2007 com a missão de criar soluções inteligentes e sustentáveis para a promoção de uma gestão municipal transparente e eficiente. Mais de 750 entidades de 268 municípios brasileiros integram o Ciga.

Papel Zero – A ordem de serviço do projeto foi assinada em 22 de abril pelo prefeito Cícero Lucena. Até dezembro será implantado integralmente. O Papel Zero é uma das metas do Programa João Pessoa Sustentável, orçado em 200 milhões de dólares. Metade dos recursos é financiada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a outra metade é de contrapartida da Prefeitura.