Fortalecendo laços

Rede Municipal incentiva pré-natal do pai nas Unidades de Saúde da Família

12/08/2022 | 12:00 | 270

A gestação também pode ser um momento marcante e especial para o pai do bebê, pois é uma fase fundamental para o desenvolvimento saudável do feto e criação de laços com a criança que está para nascer. Por isso, a Rede Municipal de Saúde de João Pessoa incentiva o pré-natal do pai, que tem ganhado cada vez mais adesão dos parceiros das gestantes acompanhadas nas Unidades de Saúde da Família da Capital.

Assim como no pré-natal da mulher, a população masculina também pode ter acesso ao acompanhamento de uma equipe multidisciplinar de saúde, além da realização de exames. Nos últimos 12 meses foram realizadas cerca de 30 mil consultas de pré-natal na rede pública de João Pessoa e a estimativa é que os parceiros das gestantes participaram de 8% desse total.

Um dos serviços que tem se destacado nesta política de saúde, em João Pessoa, é a USF Integrada Cruz das Armas II, onde o enfermeiro Francisco Alves desenvolve o trabalho com os novos papais usuários do serviço. “O pré-natal do pai ou do parceiro é mais importante do que se possa imaginar para que ele possa entender mais as condições físicas e psicológicas da mulher durante a gestação, parto e pós-parto, participar como coautor do processo e, assim, passar a dar mais carinho, atenção e compreensão à parceira”, destacou o enfermeiro.

Ele explica que o pré-natal estimula no pai a consciência de que ele também faz parte da gestação do bebê. “Com isso, ele vai ter mais responsabilidade, vai promover saúde mental para a companheira, para si e para os familiares que verão a alegria em conjunto com a parceira pela chegada da criança. Um dos momentos em que ficam encantados e se emocionam é quando escutam os batimentos cardíacos do feto”, observou Francisco Alves.

De acordo com o enfermeiro, a presença dos pais nas consultas de pré-natal nas unidades de saúde tem sido mais frequente. “A adesão dos pais resulta de um trabalho de promoção e prevenção realizado pela enfermagem, incentivando a responsabilidade do pai durante todo o tempo gestacional”, afirmou.

O mecânico Jesualdo Alves é um dos pais que aderiu ao pré-natal a partir da segunda gestação da esposa Zaine Sousa. O casal é atendido na USF Estação Saúde, no bairro Ernesto Geisel. “Está sendo muito interessante e gratificante estar ao lado dela, acompanhando tudo. Já fiz alguns exames e estamos recebendo toda a atenção do enfermeiro e da equipe. É um atendimento humanizado”, disse.

Pré-natal do pai’– É voltado ao público masculino e começa com exames de sangue completos, para averiguar possíveis doenças crônicas, como diabetes ou doença falciforme, como também o controle do colesterol. O Fator Rh do futuro pai também é analisado e comparado com a mãe para checar se pode haver algum risco para o feto. Além de todos esses exames, o IMC, peso e a pressão arterial são verificados e ainda são realizados testes rápidos para detecção de hepatites virais, ISTs, HIV e sífilis, que podem ser transmitidas para a mãe e acarretar consequências graves para o feto.

As orientações em saúde no pré-natal masculino também abordam outros cuidados, como é o caso da indicação de uma alimentação adequada, prática de atividades físicas e aplicação de vacinas, caso necessário. Nesta fase, também é indicado ao homem o acompanhamento e a participação de todo o processo da gestação, como forma de contribuir para uma melhor qualidade de vida de toda a família.

Cartilha – A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) lançou, no ano passado, uma cartilha sobre o pré-natal do homem para fortalecer as ações da Prefeitura de João Pessoa no cuidado integral à saúde da população masculina da Capital. O material tem cunho informativo com objetivo de incentivar a participação do parceiro nas consultas de pré-natal.

“É uma das estratégias de divulgação do trabalho que já é desenvolvido por nossa rede de saúde municipal em João Pessoa. A Área Técnica de Saúde do Homem percebe o eixo da paternidade ativa como potencial de cuidado ampliado e transforma a realidade, quebrando paradigmas como o machismo e avançando para uma saúde da família mais integral, com relações familiares saudáveis”, revelou Késsio Brito, coordenador da Área Técnica de Saúde do Homem de João Pessoa.