Volta às aulas

Saúde alerta pais e profissionais da educação para atualizar a caderneta de vacinação das crianças

25/01/2023 | 08:00 | 17207

A Prefeitura de João Pessoa alerta e convida pais, profissionais da educação e alunos para ampliar o cuidado básicos preventivos, principalmente com a vacinação. Não tem como fugir, no ambiente escolar é onde há o maior contato com vírus e bactérias e onde as crianças estão expostas às doenças mais comuns e contagiosas.

“Muitas vezes as crianças já estão vacinadas, sobretudo, observamos em alguns outros casos que a criança começou o esquema vacinal, mas não retornou a Unidade de Saúde para completar para garantir a eficácia da proteção ou ainda, os pais por não ter conhecimento se a doença está mais em circulação, relaxam e acham que não precisa mais vacinar a criança”, explicou Fernando Virgolino, chefe da Seção de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde.

Recentemente o Ministério da Saúde alertou sobre as coberturas vacinais do calendário infantil que vêm caindo no Brasil e sobre as desigualdades de cada região. Em João Pessoa, os profissionais de saúde realizam busca ativa e promovem campanhas considerando o risco para o retorno de doenças que estão erradicadas ou controladas.

Em setembro de 2022, João Pessoa foi a única capital no Brasil a atingir e ultrapassar a meta de vacinação na Campanha Nacional contra Poliomielite (Paralisia Infantil) com objetivo de promover a prevenção e imunizar 95% do total de 41,2 mil crianças residentes na Capital. Durante todo o período de campanha, foram vacinadas 95,79% do público-alvo.

O chefe da seção de Imunização de João Pessoa, Fernando Virgolino, explica que alcançar a meta é promover a saúde e garantir que a população alvo imunizada, reflita como forma de barreira para que essas doenças não adentrem ao território pessoense.

“Seguimos promovendo a vacinação de todos os públicos e monitorando principalmente as crianças, nos serviços de saúde, com o esforço das equipes da Atenção Básica, que promovem busca ativa e orientam por meio dos profissionais das Unidades de Saúde e dos Agentes Comunitários de Saúde a importância da vacinação e de manter o cartão de saúde da criança atualizado”, completou Fernando Virgolino. Para todas as faixas etárias, antes de se imunizar, é preciso verificar a situação vacinal.

Saiba quais vacinas disponíveis no SUS:

– Vacinas para crianças

  • BCG: contra tuberculose
  • Hepatite B
  • Penta/DTP: combate difteria, tétano, coqueluche, meningite e poliomielite
  • VIP/VOP: vacinas contra a poliomielite (paralisia infantil)
  • Pneumocócia 10V (conjugada): previne doenças como pneumonia e meningite, causadas por dez sorotipos da bactéria pneumococos
  • Rotavírus Humano: previne o rotavírus, que provoca sintomas como diarreia, vômitos, febre e problemas respiratórios
  • Meningocócica C: contra a meningite
  • Febre Amarela: disponível em áreas em que a vacina é recomendada pelo Ministério da Saúde
  • Hepatite A
  • Tríplice viral: combate sarampo, caxumba e rubéola
  • Tetra viral: corresponde à segunda dose da tríplice viral e à dose da vacina varicela
  • Varicela: corresponde à segunda dose da vacina varicela
  • HPV
  • Covid-19 (a partir dos seis meses de idade)

Vacinas para adolescentes

  • Hepatite B
  • Meningocócica C: contra meningite
  • Febre Amarela
  • Tríplice viral: combate sarampo, caxumba e rubéola
  • HPV
  • Dupla adulto: combate difteria e tétano (reforço a cada dez anos)
  • Covid-19

Vacinas para adultos e idosos

  • Hepatite B
  • Febre Amarela
  • Dupla adulto: combate difteria e tétano (reforço a cada dez anos)
  • Covid-19
Pular para o conteúdo