Inclusão

Funjope recebe selo no Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ por apoio a classe

28/06/2022 | 20:30 | 207

A Prefeitura de João Pessoa, através da sua Fundação Cultural, recebeu um selo pelo trabalho desenvolvido na área cultural em apoio à diversidade de gênero. O reconhecimento aconteceu nesta terça-feira, 28 de junho, Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+. A entrega da homenagem ocorreu na sede da Funjope e foi realizada por Dhell Félix, fundador e presidente de honra da ‘Iguais Associação na Paraíba’.

Para Marcus Alves, diretor executivo da Funjope, o recebimento do selo confirma o trabalho que vem sendo realizado pela gestão municipal de valorização de todas as culturas na cidade.

“Desde o ano passado, estamos trabalhando a questão da diversidade cultural e da valorização das comunidades LGBTQIA+. Em todos os nossos editais existem espaços para a comunidade, isso vai desde a Lei Aldir Blanc aos mais cotidianos desenvolvidos pela Funjope. Ano passado apoiamos a Parada LGBT Virtual e este ano estamos apoiando a Parada LGBT de Mangabeira. Também fizemos um processo de capacitação das nossas equipes com o próprio grupo Iguais e firmamos uma parceria”, comentou.

Marcus Alves ainda destacou que a Funjope tem dado uma atenção na contratação de artistas LGBTQIA+ e pontuou outras ações. “Ano passado, por exemplo, tivemos dentro de uma formação de cinema três selecionados e a primeira colocada foi uma diretora trans. Isso é muito importante, pois estamos incorporando ações na prática”, disse.

Dhell Félix ressaltou que a Funjope é uma parceira em todos os eventos culturais que o movimento LGBT faz em João Pessoa. “Temos o exemplo da Parada de Mangabeira. O apoio maior é a Funjope. Acreditamos que ela faz um excelente trabalho e por isso recebeu o selo para identificar que ali é um lugar seguro, que ali a diversidade tem vez e que a população LGBT pode encontrar sim um refúgio para as suas pautas”, destacou.

Além de Marcus Alves, também estiveram presentes para receber o selo os diretores Antônio Alcântara (ação cultural) e Ricardo Almeida (administrativo e financeiro).