Na Capital

‘Sexta Circense’ leva alegria e descontração a público de todas as idades no projeto Férias no Parque

22/01/2022 | 09:00 | 332

O mundo mágico do circo encantou a todos que visitaram nessa sexta-feira (21) o Parque Solon de Lucena, no Centro de João Pessoa, para participar da 1ª edição do ‘Sexta Circense’, dentro da programação do projeto Férias no Parque. A iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb) vem sendo realizada desde o início do mês em parceria com outras secretarias e atraído um número cada vez maior de pessoas a cada fim de semana.

Nessa primeira edição, a trupe de palhaços e artistas do Circo Americano fizeram a alegria do público presente ao evento. As apresentações arrancaram vários sorrisos e despertaram o olhar atento de pessoas de várias idades. A programação também contou com a participação do grupo de dança do Centro de Referência da Cidadania dos Funcionários II (CRC), que tem o comando do professor Márcio Chicletinho.

De acordo com o secretário Fábio Carneiro, o evento foi um grande sucesso e superou todas as expectativas de público nesse primeiro dia. Ele ressaltou a boa receptividade do público ao projeto, que tem atraído pessoas de todos os recantos da cidade. “O Férias no Parque tem proporcionado lazer, cultura e muita diversão às crianças, que neste período estão de férias e muitas vezes ficam ociosas em casa”, disse.

Fábio Carneiro explicou que além da arte circense, presente em todas as sextas do mês de janeiro no evento, também será possível ter acesso aos brinquedos do parque de diversões, apresentações culturais para o público adulto e infantil, e ao melhor da gastronomia regional.

O diretor de Paisagismo da Sedurb, Jair Soares, destacou a programação cultural do evento, que conta com a parceria da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) e Secretaria de Juventude, Esporte e Recreação (Sejer). “Elaboramos uma programação voltada para crianças de todas as idades, mas também para o papai e a mamãe que vão levar os seus filhos e acabam entrando na brincadeira e voltam a ser crianças”, afirmou.