Educação

Professores, instrutores e intérpretes de Libras passam por formação para início do ano letivo

09/02/2024 | 14:00 | 246

A Secretaria de Educação e Cultura de João Pessoa (Sedec-JP), por meio da Diretoria de Ensino, Gestão e Escola de Formação (Degef), realizou, nesta sexta-feira (9), a primeira formação continuada para professores de sala de Atendimento Educacional Especializado (AEE), intérpretes e professores de Língua Brasileira de Sinais (Libras). A formação aconteceu no Centro de Capacitação de Professores (Cecapro), em Tambauzinho.  

“Há todo um movimento, um planejamento de preparação do ano letivo em todos os aspectos, tanto do ponto de vista pedagógico, mas também do ponto de vista administrativo, para que as unidades possam iniciar o ano com tudo organizado. E hoje nós estamos fazendo um encontro com profissionais que atuam no campo da Educação Especial. É um encontro de formação no sentido de alinhamento das atividades, das ações pedagógicas direcionadas para este público alvo”, explicou a diretora da Degef, professora Drª Clévia Carvalho.  

Durante a formação os 120 profissionais, sendo 98 professoras, 10 instrutores e 12 intérpretes de Libras, viram as primeiras orientações e diretrizes para a organização do serviço nas escolas e nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), que é o atendimento educacional especializado.

“É um momento de diálogo sobre toda a estrutura, toda a logística, para que esse ano já inicie com esse alinhamento entre o serviço do atendimento e a sala de aula regular. Não basta só o aluno chegar na escola. Ele precisa chegar e estar na escola ou no CMEI. E estando em um desses dois espaços, eles precisam ter acesso ao que é de direito, e esse acesso com qualidade e equidade”, disse a chefe da Divisão da Educação Especial (DEE) da Sedec, professora Rejane Lira.  

Lizanca Georgia Oliveira é professora da sala do AEE da Escola Municipal Euclides da Cunha há cinco anos e compreende a importância desse primeiro encontro.

“Todas as orientações, principalmente as mais novas, para nós é muito importante. O início do ano letivo é um ponto chave porque estamos recebendo novas crianças, alunos. Já é mais uma família que vamos dar orientação, para darmos um caminho para elas. Temos muitas famílias que tiram seus filhos de uma escola privada e colocam na escola municipal porque sabem do nosso trabalho, sabem do trabalho feito pelo prefeito Cícero Lucena e da secretária da Educação, América Castro. Não existe um município do tamanho de João Pessoa que faça um trabalho de inclusão que nossa Rede faz. Como diz o prefeito, o intuito é fazer com que as escolas municipais sejam melhores que as particulares”, disse com orgulho a professora.  

No ano de 2023, a Rede Municipal encerrou o ano letivo atendendo um total de 3.864 estudantes com deficiência nas escolas e nos CMEIs.