Educação permanente

Serviço de Atenção Domiciliar promove palestra de conscientização sobre afasia

03/08/2021 | 16:30 | 236

O Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) da Prefeitura de João Pessoa promoverá uma palestra de conscientização sobre a afasia, uma alteração neurológica na comunicação expressiva ou compreensiva que afeta mais de 70% dos pacientes atendidos atualmente pela equipe de fonoaudiologia do serviço. A atividade acontecerá nesta quarta-feira (4) em dois horários, às 11h e às 17h, na sede do SAD, no bairro de Miramar.

Com o tema ‘Comunicação que transforma’, o evento tem a finalidade de reforçar a importância da comunicação nas relações interpessoais, buscando melhorar a qualidade no atendimento profissional aos usuários com afasia e seus familiares. “Vamos abordar a temática, trazendo uma conscientização com relação a essa alteração fonoaudiológica na linguagem, que impacta não só a relação familiar desse paciente, como também a social”, afirmou Gilanne Ferreira, gerente do SAD.

A afasia é um problema que afeta tanto a linguagem oral quanto a linguagem escrita. A pessoa que tem a doença pode ter dificuldades para falar, compreender a fala dos outros, ler e escrever. O problema pode ser causado após uma lesão cerebral decorrente de um acidente vascular cerebral (AVC), um traumatismo cranioencefálico (TCE), um tumor cerebral, uma anóxia ou hipóxia cerebrais (ausência ou diminuição da oxigenação cerebral).

Do total de 56 pacientes atendidos pelos fonoaudiólogos do SAD, 40 apresentam quadro de afasia. “É importante que os profissionais das nossas equipes saibam como se comportar diante de um paciente afásico e quais são as estratégias de comunicação diante dele. Além de que podemos, também, amenizar a dor dos familiares, orientando e tornando a comunicação mais prática, fácil e viável”, explicou Simone Chaves, fonoaudióloga do SAD.

SAD – O Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) integra o Programa Melhor em Casa, do Ministério da Saúde, e tem o objetivo de trabalhar a desospitalização, diminuindo o tempo de permanência nos hospitais e nas unidades de pronto atendimento, por meio de um cuidado integral e humanizado no ambiente domiciliar. Ou seja, atende pacientes que podem receber alta do hospital, porém necessitam da continuidade dos cuidados em casa.

Contando com aproximadamente 80 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, fisioterapeutas, nutricionistas, fonoaudiólogos, assistentes sociais, psicólogos e farmacêuticos, o serviço realiza uma média de mil atendimentos mensais. Para ter acesso, os pacientes devem ser encaminhados pela rede hospitalar.