Projeto itinerante

Feirão da Empregabilidade em Mangabeira resulta em 859 encaminhamentos para o mercado de trabalho

18/08/2022 | 18:30 | 257

A primeira edição itinerante do Feirão da Empregabilidade, realizada nesta quinta-feira (18), no Centro Cultural Tenente Lucena, em Mangabeira, resultou em 859 encaminhamentos para processos seletivos em empresas. Além de oferta de vagas de emprego, o evento – promovido pela Prefeitura de João Pessoa, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedest) – ofereceu capacitações gratuitas e orientação para empreendedores.

O Feirão teve início por volta das 8h. Por lá, a equipe do Sistema Nacional de Emprego de João Pessoa (Sine-JP) disponibilizou 500 fichas de atendimento, seguindo ordem de chegada, para que candidatos se cadastrassem no banco de dados do serviço e tentassem encaminhamentos para o mercado de trabalho, de acordo com o perfil de vagas disponíveis.

Ao todo, foram ofertados, no evento, 232 postos de emprego para 13 funções: auxiliar mecânico, auxiliar de limpeza, garçom, impressor de retrogravura, impressor flexográfico, motorista de caminhão, oficial de serviços gerais, operador de caixa, operador de telemarketing ativo, promotor de vendas, serralheiro, vendedor interno e vendedor pracista.

Maynara Maria, de 22 anos, foi direcionada para seleção em uma empresa de telemarketing, exatamente para a vaga que ela almejava. “Tenho problema de audição e soube que tinha oportunidade específica para pessoas com deficiência. Estou lutando por meu primeiro emprego. Como a função não exige experiência, vim tentar. Estou muito ansiosa e torcendo para que dê certo”, disse.

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Vaulene Rodrigues, encaixando-se no perfil das vagas ofertadas, cada candidato poderia ser encaminhado para até três seleções. “Foi com muita satisfação que concluímos o Feirão da Empregabilidade, em Mangabeira. A população prontamente abraçou a ideia. Nosso objetivo com o projeto é estar próximo da economia local e da população, levando e gerando oportunidades. Será uma ação contínua, que vai percorrer diversas regiões da cidade”, destacou.

Oportunidades – Muitas pessoas chegaram cedo ao Centro Cultural para garantir o atendimento. Michelly Vitória, de 19 anos, residente em Mangabeira VIII, foi a primeira delas. Ela já trabalhou com telemarketing e serviços gerais, mas está desempregada há quatro meses. “Nem vi as vagas que estavam sendo oferecidas. Vim querendo qualquer oportunidade, pois meu objetivo é trabalhar, independentemente da área”, falou.

Jober Alves Silva, de 45 anos, que mora no Varjão, tomou conhecimento do Feirão pelos noticiários na TV. Ele trabalhava em uma oficina mecânica, contudo, foi desligado do serviço no final do mês passado. “Onde aparece oportunidade, estou tentando. Preciso entrar no mercado de trabalho. Enquanto não consigo, tenho me qualificado como posso. Inclusive, me inscrevi no curso de garçom oferecido pelo Sine-JP. As aulas começam no próximo mês”, contou.

Capacitações – O Feirão recebeu 320 pessoas nos seis cursos de capacitação gratuitos realizados ao longo do dia. Entre os participantes estava Maria Letícia, de 18 anos. Ela foi ao evento focada nas vagas de emprego, mas aproveitou a oportunidade para assistir a aula de Informática Básica. “Não possuo computador em casa. Por isso, não tenho muita experiência em informática. Aprendi muita coisa aqui e agora quero buscar um curso completo”, disse. A programação ainda contou com capacitações de promotor e vendedor de farmácia, operador de caixa, cuidador de idosos, futuro da moda, assistente administrativo e empregabilidade.

Empreendedorismo – O evento também atendeu a quem possui o próprio negócio ou almeja empreender. A equipe do ‘Eu Posso’ recebeu 20 pessoas em busca de orientações e de análise de viabilidade financeira de seus projetos. Já os consultores da Sala do Empreendedor receberam 21 pessoas que tiraram dúvidas sobre Microempreendedor Individual (MEI) e trâmites em torno de registros de pessoa jurídica.

A comerciante Eva Eleutério abriu um CNPJ em 2020 para iniciar uma loja de utilidades domésticas. Porém, começou a estudar e deu uma pausa nos negócios. “Fiquei sem pagar as taxas e, agora, meu registro está com diversas pendências. Procurei o atendimento para pedir orientações sobre como regularizar minha situação e, a partir daí, decidir se continuo com meu registro ativo ou não. Eles esclareceram todas as minhas dúvidas”, contou.

Ainda segundo Vaulene Rodrigues, o Feirão foi um verdadeiro sucesso. “Realizamos diversos atendimentos e orientações sobre mercado de trabalho e programas que fomentam o empreendedorismo. Além disso, todas as salas de qualificação estavam lotadas, nos sinalizando a importância dessa iniciativa de nossa gestão municipal. Foi apenas nossa primeira edição itinerante. Vamos fazer muito mais”, concluiu.